Orientações e cuidados pós-alta hospitalar de Covid-19

Prevenção e Controle

07/06/2021

A recuperação da Covid-19 é lenta, e mesmo quem já teve alta hospitalar precisa de alguns cuidados para voltar a levar uma vida normal. Saiba quais são.

6 min de leitura

Compartilhar

Orientações e cuidados pós-alta hospitalar de Covid-19

Todos nós sabemos do grande impacto que a pandemia da Covid-19 vem causando ao mundo, mas mesmo com a grande quantidade de óbitos provocados pela infecção, muitas pessoas conseguem se recuperar – especialmente ao apresentar quadros mais leves da doença.

De toda forma, a recuperação da covid-19 é lenta, e mesmo quem já teve alta da internação precisa manter alguns cuidados para que seja possível voltar a ter uma vida normal. Apesar de já ter tido uma importante vitória, é preciso ficar atento a possíveis alterações no organismo e manter as medidas de prevenção.

Por isso, especialmente para quem está nesta etapa pós-alta hospitalar de covid-19, a Unimed-BH preparou um material com dicas e orientações para que a sua recuperação seja boa e rápida, sem comprometer a sua saúde e também daqueles que você ama.

Cuidados pós-alta hospitalar de covid-19

Muitos pacientes recuperados da Covid-19, após a alta médica ou o término dos sintomas, acabam relaxando com os cuidados relacionados ao isolamento social e à higiene, algo que não deve acontecer, porque ainda é possível transmitir a doença depois desse período.

Portanto é fundamental seguir as orientações médicas quanto à permanência ou não de cuidados especiais no domicílio e ao mesmo tempo que tais medidas deverão ser mantidas.

Se você ainda estiver em período de isolamento, fique atento às seguintes orientações:
  • A distância mínima entre a pessoa infectada e os demais moradores da casa precisa ser de 1 metro.
  • É necessário reservar um quarto para o isolamento, manter as janelas abertas para a circulação do ar, deixar a porta fechada durante todo o isolamento e limpar a maçaneta frequentemente com álcool 70% ou água sanitária.
  • Em casas com apenas um quarto, os demais moradores devem dormir na sala, longe do paciente infectado.
  • O lixo produzido pela pessoa contaminada precisa ser separado e descartado à parte do lixo comum.
  • É aconselhável reservar uma lixeira de uso exclusivo para a pessoa infectada ou suspeita.
  • Toalhas de banho, garfos, facas, colheres, copos e outros objetos usados pelo paciente não devem ser compartilhados, assim como sofás e cadeiras.
  • Os móveis e as superfícies ao redor do paciente precisam ser limpos frequentemente com água sanitária com concentração de princípio de cloro ativo entre 2% e 2,5%, após ser diluída em uma colher de sopa para cada litro de água, ou com álcool 70%.
  • A pessoa contaminada deverá utilizar máscara cirúrgica o tempo todo.
  • Depois de usar o banheiro, sempre lavar as mãos com água e sabão e limpar o vaso, a pia e demais superfícies com álcool 70% ou água sanitária para desinfecção do ambiente.
  • Todos os outros moradores da casa devem usar máscara, cobrindo boca e nariz.
  • Pessoas que tiveram contato com um familiar suspeito ou confirmado de Covid-19, deve permanecer em isolamento por 14 dias, mesmo que já tenha sido vacinado contra a Covid-19.
  • Caso outro familiar da casa também comece a apresentar sintomas, ele deve reiniciar o isolamento por dez dias. Se os sintomas forem graves, como dificuldade para respirar, ele deve procurar orientação médica.
  • A pessoa contaminada deverá utilizar máscara cirúrgica o tempo todo.

Recuperação da Covid-19

Não existe tratamento específico para infecções causadas pelo coronavírus humano, mas um conjunto de fatores pode auxiliar na sua recuperação.

1. Cuide da saúde mental

A Covid-19 comumente causa impacto emocional, podendo ocasionar um trauma psicológico. A experiência da internação hospitalar e todos os cuidados necessários no período de isolamento podem desencadear reações emocionais como tristeza, raiva, angústia, crises de ansiedade e medo, depressão, entre outras.

Portanto siga algumas dicas para lidar melhor com o momento atual:

  • Busque informações de fonte confiável.
  • Evite o excesso de notícias, pois isso pode provocar a ansiedade, dificultando o relaxamento.
  • Separe um tempo para realizar atividades prazerosas e de relaxamento.
  • Aproveite um momento com as pessoas de seu convívio e pratique atividades como meditação, alongamento, leitura, etc.
  • Preste atenção aos seus sentimentos e pensamentos.

Caso se sinta confortável, compartilhe o que está sentindo com alguém de confiança e, se precisar, procure ajuda profissional.

2. Pratique exercícios físicos

Os exercícios o ajudarão a melhorar a disposição, a força muscular e a flexibilidade e a se manter mais ativo para poder retornar mais rápido às suas atividades cotidianas.

Mas, atenção, o retorno à prática de exercícios físicos deve ser feito apenas mediante a liberação médica e a retomada deve ser feita de forma progressiva. É importante respeitar o tempo de recuperação do organismo.

Se ainda estiver cumprindo o período de isolamento, pratique os exercícios dentro de casa ou no quintal. Não esteja em locais onde possa entrar em contato com outras pessoas.

Caso apresente sintomas como falta de ar, dores no peito ou palpitações, exaustão, tontura ou vertigem, suspenda o exercício e, se necessário, entre em contato com o seu médico.

3. Mantenha uma boa alimentação

O principal cuidado nutricional para a Covid-19 baseia-se na higienização correta dos alimentos, mas a qualidade da alimentação também irá influenciar em sua recuperação.

Manter uma alimentação balanceada, com o consumo de alimentos saudáveis, in natura e minimamente processados, e uma boa oferta de líquidos, auxilia no fortalecimento do sistema imune e nos demais sistemas fisiológicos. Durante a recuperação, evite o consumo de bebidas alcoólicas.

  • A alimentação saudável deve conter todos os grupos alimentares:
  • Carboidratos, principalmente os integrais;
  • Verduras, legumes e frutas;
  • Leite e derivados;
  • Carnes e ovos (prefira as carnes brancas, como frango e peixe, evitando o consumo excessivo de carne vermelha, e sempre na forma de preparo assado, cozido ou grelhado; os ovos podem ser cozidos, mexidos, pochê e preparados como omelete);
  • Leguminosas (feijões, lentilha, ervilha, grão de bico, soja);
  • Oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas);
  • Óleos vegetais.

A hidratação também é um fator muito importante durante sua recuperação, pois, além das perdas normais de líquidos, a febre e sintomas como vômitos e diarreia aumentam essas perdas hídricas. Caso você tenha alguma doença renal ou cardíaca que ocasione restrição do volume de líquidos que você pode ingerir por dia, consulte seu médico.

4. Durma bem

Descansar é fundamental para o bom funcionamento do organismo, em especial do cérebro. O sono proporciona um momento de relaxamento do corpo e da mente. Em se tratando de sono, cada pessoa tem necessidades diferentes.

Procure dormir de seis a oito horas por dia, sem interrupções. Se você dorme mal porque tem insônia ou alguma outra dificuldade que faça com que você não durma, procure ajuda médica. Uma dica é evitar ficar com o celular ou o computador na cama – isso piora a qualidade de seu sono.

Neste artigo aqui você pode encontrar mais dicas para dormir melhor e melhorar sua qualidade de vida.

5. Monitore os seus sinais vitais

Os sinais vitais, como temperatura corporal, frequência cardíaca, frequência respiratória e oximetria, são as medidas corporais básicas de um ser humano. Esses indicadores auxiliam no diagnóstico inicial assim como no acompanhamento do quadro clínico. Portanto, se for necessário, faça a aferição dos dados vitais pelo menos duas vezes ao dia.

Não se esqueça de anotar todos os resultados caso seja necessário passa-los ao seu médico.

Verificando a temperatura

Utilize um termômetro para medir a temperatura corporal. O digital é o tipo mais comum e uma boa opção para ter em casa. Limpe-o bem com álcool 70% antes e após utilizá-lo e certifique-se de que a bateria não está fraca.

Coloque o termômetro na axila e aguarde o alerta sonoro sinalizando que a temperatura já foi aferida. Considere febre a temperatura acima de 37,8ºC.

Oximetria

A oximetria é um teste não invasivo e indolor que mede o nível de oxigênio no sangue. Esse exame pode ser feito em casa com o uso de um oxímetro de pulso, sendo importante quando há suspeita de doenças que prejudiquem ou interfiram no funcionamento dos pulmões.

Se possível, adquira o aparelho para o melhor monitoramento da oxigenação sanguínea.

Geralmente, a oximetria acima de 95% indica uma boa oxigenação, entretanto essa taxa pode variar de acordo com as condições de saúde individuais. Uma taxa de oxigenação baixa pode sugerir a necessidade do uso de oxigênio e pode indicar um risco de vida caso não seja corrigida adequadamente.

O oxímetro de pulso tem um sensor de luz que capta a quantidade de oxigênio que passa no sangue por baixo do local onde está sendo feito o exame e, em poucos segundos, indica o valor. Esse sensor faz medidas imediatas e regulares e é desenvolvido para ser usado geralmente nos dedos das mãos e dos pés.

Para essa medição, higienize as mãos com água e sabão ou com álcool 70%. Ligue o oxímetro para que ele possa fazer a calibração interna e verificações. Aguarde o tempo de calibração para aferição.

Certifique-se de que a área onde será feita a aferição está limpa e remova o esmalte das unhas. Posicione o sensor com cuidado, preferencialmente no dedo indicador. Verifique se ele se adapta facilmente sem estar muito solto ou muito apertado. Aguarde para que o oxímetro detecte o pulso e calcule a saturação de oxigênio. Leia os dados correspondentes na tela do visor e registre.

Após o uso, higienize novamente as mãos com água e sabão ou com álcool 70%. Faça também a limpeza do aparelho com álcool 70%.

ATENÇÃO: alguns detalhes podem atrapalhar a leitura do aparelho ou mesmo mostrar um resultado “falso”, como esmaltes escuros nas unhas, tremores, mãos frias e o mau posicionamento do oxímetro. A posição do corpo — deitado, em pé, caminhando — ou até mesmo o dedo escolhido para o teste podem trazer variações na medição. Além disso, nem todos os equipamentos disponíveis no mercado são capazes de fazer uma leitura eficaz. No Brasil, procure por aparelhos certificados pela Anvisa e pelo Inmetro.

6. Fique atento a alterações respiratórias

Esteja atento a alterações respiratórias como cansaço, fadiga e falta de ar. Se constatar alteração e for cliente Unimed-BH, agende uma consulta on-line em unimedbh.com.br/coronavirus.

Como aliviar os sintomas da covid-19?

Para o alívio de sintomas como dor e febre, pode ser indicado o uso de medicamentos (antitérmicos e analgésicos). Siga a recomendação médica.

Monitore sua saúde constantemente e retorne ao médico

Independentemente da gravidade da doença, a Covid-19 pode gerar sequelas como cardíacas, pulmonares e neurológicas, sendo necessário o acompanhamento médico pós-alta hospitalar.

Alguns podem não ser tão aparentes, como alterações cognitivas, o que exige atenção também de parentes e cuidadores. Portanto é muito importante o retorno às consultas para o monitoramento da evolução do quadro de saúde.

Se você é cliente Unimed-BH, não deixe de marcar sua consulta online por meio do aplicativo Unimed-BH ou do Espaço do Cliente.

Enquanto a vacina não alcançar toda a população, continua valendo a mesma recomendação: mantenha o distanciamento social, use a máscara facial corretamente e higienize as mãos com frequência.

E quando chegar sua vez, vacine-se! Aproveite para ler mais sobre o tema em nosso artigo especial.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não

    Nos ajude a melhorar nosso conteúdo!
    ×
    Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

    Comentários

    error: © Copyright Unimed-BH 2021