Saúde mental na pandemia: como gerenciar mente e emoções?

Para Participar

19/04/2021

Cuidar da saúde mental na pandemia se tornou mais importante do que nunca. Veja dicas e cuidados para uma mente mais saudável agora e sempre.

5 min de leitura

Compartilhar

Saúde mental na pandemia: como gerenciar mente e emoções?

Os impactos da pandemia da Covid-19 são intensos. De um lado, a necessidade do isolamento que se faz mais necessária do que nunca. Do outro, a vontade de retomar a vida como era antes dos primeiros casos da doença. Isso sem contar o medo e a tristeza pelo alarmante número de vítimas que ela faz todos os dias.

A incerteza, gerada pela nova onda de aumento de casos, é outro elemento que torna tudo ainda mais delicado. A chegada desse vírus até então desconhecido e altamente transmissível trouxe diversos pontos de atenção.

Entre eles, a necessidade de cuidar da saúde mental na pandemia. Encontrar caminhos para manter o equilíbrio emocional diante dessa (já não tão) nova realidade é fundamental. Aprender a identificar sinais que possam indicar problemas também.

A saúde mental é um alerta para quem está em casa, isolado; para quem precisa sair de casa para trabalhar e está com medo; e para os profissionais que cuidam, desde o início da pandemia, de quem é acometido pela Covid-19.

Pensando nisso, separamos informações valiosas e dicas eficazes sobre como manter a saúde mental na pandemia. Continue lendo para se informar e entender que cuidar da mente é tão importante quanto cuidar do físico.

O que é saúde mental?

Antes de mais nada, é importante entender o que é saúde mental. Mesmo sendo um tema cada dia mais popular, esse termo ainda pode ser motivo de dúvida para muita gente.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a saúde mental vai além da ausência de transtornos mentais – como depressão e ansiedade, por exemplo. Ela está associada à autonomia, ao bem-estar e à capacidade de autorrealização das capacidades do indivíduo.

Por isso, o não diagnóstico de transtornos mentais não é garantia de que a saúde mental esteja em dia. O que determina a sua qualidade é a forma como a pessoa lida com os desafios e as situações desagradáveis da vida, bem como com as diversas emoções que experimenta diariamente.

A importância de adotar cuidados

Compreendendo o conceito de saúde mental, entendemos também a importância de adotar cuidados para mantê-la. É preciso olhar para a saúde mental na pandemia com os mesmos olhos que cuidam da saúde geral e física.

Isso porque, da mesma forma que podemos ter problemas físicos caso deixemos exames e consultas de rotina de lado, se ignorarmos o cuidado com a saúde mental, sintomas preocupantes podem ganhar força.

Diante do cenário que vivemos atualmente, adotar cuidados com a saúde mental é ainda mais importante. Afinal, além das nossas demandas cotidianas, ainda experimentamos, diariamente, diversas sensações relacionadas ao vírus. Medo, incerteza e expectativas são algumas delas.

Saúde mental na pandemia: quais os impactos?

Há quem tenha de lidar com o medo de sair de casa para trabalhar; há quem tenha de se adaptar diante do desemprego; há quem tenha de se acostumar com o isolamento social e a distância dos familiares e amigos.

Há, ainda, milhares de pessoas que perderam seus familiares para a doença. Com tantos cenários, fica quase impossível mensurar os impactos da saúde mental na pandemia.

Uma coisa é certa: a saúde mental é uma das áreas que mais sofrem prejuízos na pandemia. De acordo com o Guia de saúde mental pós-pandemia no Brasil, o aumento dos transtornos mentais faz parte da quarta onda de consequências desse cenário.

Isso significa que, após um ano de pandemia, já é possível identificar um grande crescimento nos casos de problemas psiquiátricos, como a Síndrome de Burnout e outras.

Os motivos para esse aumento são diversos: distanciamento social, mudanças drásticas na rotina, desemprego, perdas familiares causadas pela Covid-19, entre tantos outros. Para os profissionais da saúde e de serviços essenciais, a sobrecarga de trabalho e o medo diante da mortalidade da doença são gatilhos.

Por isso, é importante se policiar, pois qualquer pessoa está sujeita a desenvolver algum tipo de sensação que exija maior atenção com relação à saúde mental na pandemia.

Ansiedade e depressão na quarentena

Ciente do aumento de transtornos mentais, é importante considerar também a elevação nos casos de ansiedade e depressão na quarentena.

A depressão é uma doença psiquiátrica que apresenta, entre os principais sintomas, tristeza profunda, baixa autoestima e problemas no apetite e no sono. Existe uma predisposição genética para o surgimento da doença.

Trata-se de uma disfunção bioquímica no cérebro que pode ocasionar o quadro. As crises, por sua vez, podem surgir a partir de episódios diversos.

Já a ansiedade – nome popular para o transtorno de ansiedade generalizada (TAG) – é uma preocupação excessiva e descontrolada. Ela pode causar sintomas leves, como irritabilidade, fadiga e tensão muscular. Mas também pode acarretar palpitações, falta de ar, taquicardia, entre outros sintomas graves.

Por se tratar de um momento desafiador, a pandemia pode ser um gatilho para crises de ansiedade e depressão. Por isso, ao identificar esses sintomas, é importante buscar ajuda especializada.

Além de fazer o diagnóstico correto – que é clínico, com base nos relatos do paciente –, um psicólogo ou psiquiatra poderá oferecer caminhos para o tratamento desses transtornos.

Como cuidar da saúde mental e emocional com 6 dicas

Entender como anda a sua saúde mental é um passo importante para cuidar dela. Mas, independentemente desse “status”, é possível adotar medidas no dia a dia que contribuem positivamente para o seu bem-estar.

Preparamos algumas dicas sobre como cuidar da saúde mental e emocional e sobre como passar por esse momento tão difícil com mais estabilidade.

1. Busque tranquilidade

O recente crescimento de casos de Covid-19 é motivo de apreensão. O grande fluxo de informações sobre a doença pode causar medo. Mas, seguindo as recomendações de segurança – isolamento social, uso de máscaras e dicas de higienização –, é possível se manter seguro e saudável.

2. Evite o excesso de informações

Sabemos que é importante se manter informado, mas o excesso de notícias sobre a Covid-19 pode aumentar a sensação de insegurança. Por isso, filtre notícias que possam impactar o seu humor e limite o tempo que você destina a ver esse tipo de informação.

3. Use a tecnologia a seu favor

Após cerca de um ano desde a primeira quarentena, muita coisa mudou. A saudade aumentou, o cansaço também. Mas ainda é possível utilizar ferramentas digitais para se comunicar com os amigos. Redes sociais, chamadas de vídeo e até mesmo mensagens de texto podem diminuir o distanciamento.

4. Exercite-se

A endorfina, hormônio liberado após a prática de exercícios físicos, é fundamental para a saúde mental. Ela traz sensação de prazer, satisfação e dever cumprido. Por isso, ao mexer o seu corpo, você também está cuidando da sua mente. Nunca se esqueça: a saúde física está intimamente ligada ao bem-estar emocional.

Ciente disso, a Unimed-BH fomenta uma iniciativa que ajuda milhares de pessoas de BH e região metropolitana a resgatar a saúde do corpo e da mente. É o Circuito Mude1Hábito, um projeto repleto de eventos – online ou presencial – com modalidades de atividades físicas para todas as idades.

Acesse a plataforma agora mesmo e confira os benefícios de se exercitar corretamente com o auxílio de professores qualificados e o melhor, gratuitamente. Não perca essa chance de equilibrar saúde física e emocional com injeções de ânimo imperdíveis:

Clique aqui e participe do Circuito Mude1Hábito: ganhe + 200 pontos ao realizar seu cadastro.

5. Descanse

Dormir bem é muito importante para a qualidade da saúde mental. Um sono regular ajuda a manter a saúde emocional e evita aquele mau humor característico de quem não dormiu bem à noite. Além disso, desacelerar o corpo e a mente ao menos uma hora antes da hora de dormir pode ajudar a ter uma noite de sono melhor.

6. Use bem o seu tempo

Tire alguns minutos do dia para ler um livro, assistir a filmes ou até mesmo para curtir o ócio. O que importa é não se sobrecarregar com notícias sobre a doença e demandas urgentes. Reservar um tempo para você também é uma atitude de autocuidado.

Isolamento e saúde mental

Sem sombra de dúvida, o distanciamento social é um dos grandes desafios da pandemia. Isolamento e saúde mental são dois elementos que não combinam, uma vez que a socialização é fundamental para o nosso bem-estar. Entretanto, ficar em casa é fundamental.

O recente aumento de contágios demonstra que a única forma de controlar a propagação do vírus é adotando o isolamento mais uma vez. Por isso, é importante entender como manter a saúde mental em meio a este cenário.

Olhar para si com cuidado, sem ignorar sentimentos e incômodos. Perceber como você lida com o medo, a insegurança e outros sentimentos negativos que surgem durante o isolamento. Esses podem ser caminhos promissores de entendimento e cuidado com a saúde mental na pandemia.

Leia mais aqui → A importância do acompanhamento da saúde mental.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×
Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

Comentários

error: © Copyright Unimed-BH 2021