TDPM: você sofre de síndrome pré menstrual intensa?

Prevenção e Controle

29/12/2021

Já ouviu falar na super TPM? Saiba mais sobre o agravamento do quadro pré-menstrual e como procurar ajuda.

3 min de leitura

TDPM: você sofre de síndrome pré menstrual intensa?

Cansaço, alterações de humor, tristeza, cólicas, dores nos seios, inchaço… Mulheres de todo o mundo já estão familiarizadas com os sinais clássicos da Tensão Pré-Menstrual (TPM). Mas quem sofre do Transtorno Disfórico Pré-Menstrual (TDPM) pode ter este quadro agravado, tornando os sintomas quase que incapacitantes.

Não por acaso, a condição também é conhecida como super TPM ou TPM piorada. Ela atinge de 3% a 8% das mulheres em idade fértil, acarretando sintomas físicos e mentais que tornam o período pré-menstrual ainda mais doloroso.

A boa notícia é que com o diagnóstico e tratamento corretos, é possível amenizar os sintomas de Transtorno Disfórico Pré-Menstrual. Saiba como!

O que é TDPM?

O período que antecede o ciclo menstrual é marcado por oscilações hormonais no corpo da mulher.

Ao longo da história, este quadro conhecido como TPM foi utilizado para ridicularizar ou evidenciar de forma jocosa comportamentos femininos impactados por esta condição biológica e absolutamente natural.

A verdade é que muitas mulheres sofrem bastante durante este período, especialmente quando a condição é agravada e os sintomas se tornam quase insuportáveis, como ocorre com o TDPM.

O Transtorno Disfórico Pré-Menstrual é um distúrbio relacionado à mudanças hormonais que precedem a menstruação, baixando os níveis de neurotransmissores no organismo, como a serotonina.

Isso causa dores físicas, oscilações de humor, problemas emocionais e mudanças comportamentais.

Diferença entre SPM e TDPM

A Síndrome Pré-Menstrual (SPM), mais conhecida como TPM, também é caracterizada pelas oscilações hormonais no corpo da mulher. Os sintomas variam de pessoa para pessoa e há mulheres que passam por este período sem sequer sentir os efeitos da SPM.

O quadro, no entanto, afeta a maioria das mulheres. Ele pode se manifestar em reações diversas. Maior sensibilidade, dores e inchaço no corpo, irritação e cansaço são alguns dos sintomas mais comuns.

Já no TDPM, essas reações são potencializadas. Os sintomas de Transtorno Disfórico Pré-Menstrual podem, inclusive, afetar a produtividade da mulher, as relações, a rotina e a saúde.

Além dos sintomas pré-menstruais serem agravados pela condição, o transtorno pode trazer um quadro paralisante, semelhante ao da depressão.

Quais as possíveis causas do transtorno?

Não há uma causa específica para algumas mulheres serem mais afetadas pelas oscilações hormonais no período que antecede a menstruação.

Mas uma das causas possíveis para o problema é a predisposição genética. Se a mãe também sofre com os sintomas pré-menstruais, é possível que sua filha também seja afetada de forma mais severa.

Sintomas de Transtorno Disfórico Pré-Menstrual

Também neste quadro, os sintomas podem variar de mulher para mulher, sendo os mais comuns:

  • Tristeza e melancolia;
  • Tendência ao isolamento;
  • Instabilidade emocional;
  • Irritabilidade;
  • Ansiedade;
  • Cansaço;
  • Dores de cabeça;
  • Pensamentos autodepreciativos.

Os sintomas da pré-menstruação para quem sofre de TDPM são severos, podendo causar reações exacerbadas à estímulos externos e potencializando as dores físicas.

Como é feito o diagnóstico?

A mulher deve relatar os sintomas e a frequência com que eles aparecem ao ginecologista, que poderá diagnosticar clinicamente a condição. Geralmente, são analisados os dois últimos ciclos menstruais e os sintomas ocorridos neste período.

Por isso, é preciso também que a paciente passe a observar o próprio corpo e as mudanças que ocorrem na pré-menstruação.

Para facilitar a investigação destes sintomas, a dica é anotar os sinais e mudanças observados nesta fase. O TDPM pode começar de 2 a 10 dias antes do ciclo menstrual.

TDPM Tratamento: 3 dicas para aliviar

O tratamento do Transtorno Disfórico Pré-Menstrual é individualizado, de acordo com cada caso, e só deve ser indicado pelo médico. Portanto, não caia nos perigos da automedicação.

Ele pode incluir o uso de medicamentos prescritos pelo ginecologista, psicoterapia ou outros métodos de acordo com as necessidades da paciente.

Há, no entanto, formas não medicamentosas para amenizar os sintomas ou passar de forma mais tranquila por este período. Confira:

  • Uma alimentação balanceada, com redução de açúcar, gorduras saturadas e sal, ajuda a amenizar os sintomas da TPM, fortalecendo a imunidade.
  • Atividades físicas regulares também podem ser aliadas no tratamento do TDPM, já que ajudam a reduzir a ansiedade, aliviar o estresse e trazer sensação de bem-estar, melhorando também a autoestima da mulher.
  • Cuidar da saúde mental é importante o ano todo, e também ajuda a amenizar o estresse no período pré-menstrual.

Por isso, procure adotar hábitos saudáveis no dia a dia, e busque atividades que façam bem para a mente, como yoga ou meditação. O autocuidado também ajuda a conhecer o próprio corpo e identificar as mudanças ocorridas antes e durante o ciclo menstrual.

Para saber mais sobre saúde da mulher, recomendamos os seguintes conteúdos do Portal Viver Bem da Unimed-BH:

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×

Comentários