Vacina contra a Covid-19: respostas a dúvidas frequentes

Prevenção e Controle

10/05/2021

Que tal tirar dúvidas sobre as vacinas contra a Covid-19 com a Unimed-BH? Neste post, você encontrará as principais dúvidas e terá esclarecimentos acerca do tema.

5 min de leitura

Compartilhar

Vacina contra a Covid-19: respostas a dúvidas frequentes

Desde o início da pandemia da Covid-19, a comunidade científica trabalhou incansavelmente para encontrar uma vacina eficaz e segura. Nessa corrida em busca de um imunizante contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2), cientistas fizeram história e desenvolveram as primeiras vacinas em tempo recorde, ainda no ano de 2020.

À medida que a vacinação avança, surgem mais notícias sobre o tema, porém mais importante do que estar informado é certificar-se de que essas informações são verídicas. Sendo assim, separamos aqui as principais dúvidas para que você esteja atualizado sobre o assunto.

Por que preciso me vacinar contra a Covid-19?

A vacinação está entre os instrumentos de maior resultado positivo na saúde pública em todo o mundo, contribuindo de forma inquestionável para a redução da mortalidade e o aumento da qualidade e da expectativa de vida.

No caso das vacinas contra a Covid-19, a atitude de se vacinar pode controlar essa pandemia pela qual o mundo vem passando. Ou seja, vacinar-se, além de proteger o seu organismo contra o novo coronavírus, contribui para a proteção de toda a população.

Posso escolher qual vacina contra a Covid-19 tomar?

As vacinas disponibilizadas estão sendo direcionadas à população por meio do Programa Nacional de Imunizações. Por isso, não é possível escolher qual tomar; é necessário aguardar o seu período de vacinação e a disponibilidade na ocasião.

Posso tomar duas vacinas de laboratórios diferentes?

A recomendação é receber duas doses da mesma vacina. Isso porque, até o momento, não foram avaliados por meio de estudos científicos os efeitos da combinação de diferentes tipos de vacina em termos de segurança.

É obrigatório tomar as duas doses da vacina contra a Covid-19?

É recomendado. Receber as duas doses é fundamental para assegurar a imunização. Atualmente, as duas opções de vacina contra a Covid-19 disponíveis no Brasil demandam duas aplicações.

No caso da Coronavac, o intervalo deve ser de 14 a 28 dias. Já a Oxford/Astrazeneca tem intervalo maior: de quatro a 12 semanas de intervalo entre as doses.

A vacina contra a Covid-19 pode causar complicações?

É importante compreender que toda e qualquer vacina pode causar desconforto, como vermelhidão e inchaço no local da aplicação e tontura.

Outras complicações menos frequentes podem aparecer, como náusea, diarreia, dor muscular, tosse, dor nas articulações, coriza, dor de garganta e nariz entupido. Raramente as vacinas provocam efeitos colaterais graves.

Quem pode e quem não pode tomar a vacina?

O surgimento de um novo imunizante sempre levanta a seguinte questão: quem pode e quem não pode tomar a vacina?

Conforme estabelecido pelo Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, no Brasil, as contraindicações para vacinação são para:

  • pessoas menores de 18 anos de idade;
  • pessoas que já apresentaram uma reação anafilática confirmada a uma dose anterior de uma vacina contra a Covid-19;
  • pessoas que apresentaram uma reação anafilática confirmada a qualquer componente da(s) vacina(s).

Quem já foi diagnosticado com a Covid-19 pode tomar a vacina?

Sim! Acredita-se que a imunidade conferida pelas vacinas seja maior do que a alcançada pela infecção natural. A vacina é oferecida mesmo para as pessoas que já tiveram a Covid-19.

Entretanto, qualquer pessoa atualmente infectada com Covid-19 deve aguardar pelo período de quatro semanas para ser vacinada desde a data do resultado do exame ou do início dos sintomas e após finalizar o período recomendado de isolamento.

Quem se vacinou contra a gripe e outras doenças pode receber a vacina contra a Covid-19?

A resposta é sim! Quem se vacinou contra a gripe e outras doenças também pode tomar a vacina contra a Covid-19. Mas atenção aos prazos: é recomendado que você aguarde ao menos 14 dias entre uma vacinação e outra.

Além disso, qualquer pessoa atualmente infectada com Covid-19 deve aguardar pelo período de quatro semanas para receber a vacina contra a influenza a contar da data do resultado do exame e após finalizar o período recomendado de isolamento.

Em caso de coincidência do calendário vacinal, a prioridade deve ser dada à vacina contra a Covid-19.

Quem faz uso de imunossupressores ou que tenha doenças que abaixam a imunidade pode receber a vacina contra a Covid-19?

Sim. A vacinação pode ser indicada para pacientes que façam uso de imunossupressores ou de medicamentos como antibióticos e corticóides. Pacientes que façam tratamentos como quimioterapia também podem tomar a vacina contra a Covid-19. Na dúvida, converse com o seu médico.

Gestantes e lactantes podem receber a vacina contra a Covid-19?

Gestantes, puérperas e lactantes podem se vacinar contra a Covid-19 no Brasil, desde que pertençam a um dos grupos prioritários, especialmente se tiverem alguma comorbidade. Essa é a orientação do Ministério da Saúde, que tem como base estudos nacionais e internacionais que avaliaram os riscos e os benefícios de imunizar mulheres nessas condições.

Ainda assim, a decisão sobre receber ou não a vacina deve ser individualizada e o ideal é que ela seja compartilhada por gestante e médico prescritor baseando-se no risco de exposição e de complicações.

Sobre a vacina da AstraZeneca/Fiocruz

Em nota divulgada, a Anvisa recomendou a suspensão imediata do uso da vacina da AstraZeneca/Fiocruz em mulheres gestantes após ser informada sobre a internação de uma grávida de 35 anos, no dia 5 de maio, e que veio a óbito após receber a vacina. Segundo a Anvisa, o tipo de trombose que a mulher sofreu é extremamente raro e destacou que não há comprovação que a morte tenha sido provocada pela vacina.

A agência ressaltou, que até o momento, os benefícios da vacina superam os riscos e que mantém a recomendação pela continuidade do uso da imunizante da AstraZeneca nas demais pessoas, seguindo as condições previstas em bula.

No caso das vacinas Coronavac e da Pfizer, o Ministério da Saúde autoriza o uso apenas nos casos de mulheres com comorbidades. Aquelas que não apresentarem condições de saúde enquadradas nesta categoria não deverão ser imunizadas.

Quem planeja engravidar pode receber a vacina contra a Covid-19?

Sim. Mas, no caso de mulheres que planejam engravidar, por cautela diante da ausência de estudos, é recomendado evitar a gravidez no mês subsequente à vacinação.

Após quanto tempo estarei protegido contra a Covid-19?

Em geral, alguns imunizantes começam a fazer efeito dez dias após a aplicação da primeira dose. No entanto, o efeito completo das vacinas contra a Covid-10 é esperado em 15 a 30 dias após a segunda dose embora existam variações entre as já disponíveis.

É importante lembrar que nenhuma vacina existente apresenta 100% de eficácia, portanto todos, mesmo que vacinados, precisam manter os cuidados de prevenção.

Uma vacina produzida tão rapidamente pode mesmo ser segura?

É importante considerar que todas as vacinas aprovadas foram avaliadas em três fases de pesquisa, como manda o protocolo, e utilizaram tecnologias já conhecidas e aprovadas pela comunidade científica, o que acelerou o processo de desenvolvimento. O tempo recorde de desenvolvimento, produção e distribuição não invalida sua eficácia.

Como me proteger de fake news relacionadas à Covid-19?

Atualmente, existe um grande volume de informações circulando sobre a Covid-19 e, em tempos de desinformação (as chamadas fake news), é preciso ficar atento ao que se lê e se compartilha. A dica é: busque sempre informações em fontes seguras. Para avaliar a confiabilidade delas, seguem algumas dicas:

  • Não fique com o primeiro resultado. Pesquise, compare e revise.
  • Veja quem escreve a mensagem. Informe-se sobre as credenciais do autor e sua reputação.
  • Observe o meio em que se publicou tal conteúdo para ver se há algum tipo de sinal na informação ou publicidade.
  • Atente-se ao conteúdo, se é atual, original, bem escrito, se possui um raciocínio lógico e se cita as fontes de informação.

Agora que você já aprendeu mais sobre o assunto, que tal aprofundar seu conhecimento sobre a Covid-19? A Unimed-BH preparou uma série de conteúdos relevantes como:

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não

    Nos ajude a melhorar nosso conteúdo!
    ×
    Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

    Comentários

    error: © Copyright Unimed-BH 2021