Puerpério: o que esperar e cuidados para lidar com este período

Maternidade

28/10/2021

Este artigo não é dedicado somente às mamães, mas também a familiares e rede de apoio. Afinal, o puerpério é uma fase que deve mobilizar todo o círculo de convívio da mulher que acabou de dar à luz; entenda o porquê.

4 min de leitura

Puerpério: o que esperar e cuidados para lidar com este período

Assim como ocorrem mudanças no corpo da gestante, no puerpério – ou período de resguardo – a mulher também passa por importantes transformações. Essa fase pode ser desafiadora para muitas mamães, por isso, a família e a rede de apoio serão fundamentais neste momento.

O que também pode ajudar a atravessar o puerpério de uma forma mais tranquila, é conhecer mais sobre este período, ainda na gestação.

Por isso, trazemos neste artigo as principais informações sobre o resguardo, o que é, quanto tempo dura e o que esperar desta fase.

O que é puerpério?

O puerpério, também chamado resguardo ou quarentena, é o período após o parto que se inicia com a saída da placenta. Durante essa fase, a mulher passa por importantes modificações físicas, hormonais, emocionais e, também, em sua rotina.

Quanto tempo dura?

O período de resguardo se estende por, aproximadamente, seis semanas. É importante que a gestante e sua família iniciem a preparação para a fase puerperal ainda durante a gravidez, se informando sobre as mudanças esperadas e estabelecendo uma rede de apoio.

Fases do puerpério

As mudanças no organismo materno são inúmeras durante o puerpério, assim como as alteraçõesna rotina da mamãe e da família. Veja algumas modificações e fases do do puerpério que podem ocorrer:

setinha Lóquios (secreção vaginal);

setinha Cólicas;

setinha Alterações hormonais;

setinha Depressão pós-parto;

setinha Alterações no funcionamento do intestino.

Além disso, o retorno ao ciclo menstrual pode variar para cada mulher.

Mudanças no corpo da mulher durante o resguardo

Conhecer mais sobre este período antes de sua chegada e se preparar para ele é, portanto, essencial para que a mulher atravesse essa fase tão intensa e de tantas transformações da forma mais tranquila possível. Confira as principais mudanças durante o puerpério:

Secreções vaginais

Lóquios é o nome dado à secreção eliminada durante o período puerperal. Inicialmente, sua coloração é vermelho vivo, passando para uma cor acastanhada a partir da segunda semana.

Posteriormente, essa secreção torna-se amarela e esbranquiçada até o resguardo terminar, em cerca de seis semanas a partir do nascimento do bebê. Caso o lóquios se torne fétido, um médico deve ser consultado.

Cólicas

O retorno do útero ao tamanho normal pode provocar cólicas, principalmente durante o período de aleitamento materno. A sucção do bebê estimula a liberação de um hormônio chamado ocitocina, que leva à contração do útero para que ele volte ao seu tamanho original.

Alterações emocionais

As oscilações hormonais significativas que ocorrem após o parto, associadas às mudanças de rotina, privação de sono e inseguranças quanto aos cuidados com o recém-nascido, podem deixar a puérpera mais instável emocionalmente.

Algumas mulheres sentem uma tristeza inexplicável após o nascimento, situação denominada baby blues ou Blues Puerperal. Este quadro pode durar até duas semanas após a mãe dar à luz, mas não significa que ela ficará impossibilitada de cuidar do seu bebê ou realizar as atividades de rotina.

Neste momento, a rede de apoio da mulher em puerpério deve estar atenta às suas emoções para que ela receba toda ajuda necessária.

Depressão pós-parto

Caso ocorra uma tristeza mais severa, que prejudique a capacidade da mãe nos cuidados com o recém-nascido ou com ela mesma, isso pode ser um sinal de depressão pós-parto. Este quadro pode surgir em até quatro semanas após o parto.

O tratamento inclui uso de medicamentos antidepressivos e psicoterapia. É indispensável procurar ajuda de um médico psiquiatra para que a puérpera seja tratada o mais rápido possível. O amparo da família e da rede de apoio será fundamental.

Funcionamento do intestino

A queixa de intestino preso no puerpério é frequente. Por isso, adotar uma alimentação rica em fibras e garantir a hidratação através da ingestão de bastante água irá ajudar a regularizar o hábito intestinal.

Menstruação e contracepção após o parto

O retorno ao ciclo menstrual após o parto varia de mulher para mulher. Em média, a ovulação ocorre 45 dias após o nascimento do bebê. Porém, este período pode ser maior, principalmente em mulheres que amamentam.

Converse com o seu médico durante o pré-natal sobre os métodos contraceptivos disponíveis para uso após o parto, qual é o mais indicado para você e quando deve ser iniciado. Planejamento familiar é fundamental.

Leia mais aqui setinha Planejamento familiar: tudo o que você precisa saber.

Saúde da mulher: cuidados essenciais da gestação ao pós-parto

Os cuidados com a saúde da mãe e do bebê devem começar mesmo antes da concepção. Afinal, também é preciso se preparar para engravidar. Na gestação, claro, o pré-natal deve estar em dia e as visitas ao médico devem ser regulares.

Já na reta final da gravidez, a preparação para o parto também é fundamental para que a mulher se sinta mais segura e confiante. Mas após o nascimento, os cuidados continuam. Não deixe de fazer a consulta pós-parto e visite o médico com a frequência recomendada no puerpério.

Lembre-se, também, de reservar um tempo para si. O autocuidado também é importante na maternidade.

Equipe de Atenção à Saúde Unimed-BH
Conteúdo validado por Equipe de Atenção à Saúde Unimed-BH

Equipe responsável por prover conteúdos em soluções assistenciais para clientes, profissionais e prestadores da Unimed-BH, assim como para a sociedade como um todo.

Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×

Comentários