Saúde bucal do adulto: como ter um sorriso saudável por toda a vida?

Qualidade de Vida

25/02/2021

Como a saúde bucal pode estar ligada a outras doenças e quais orientações seguir para manter a higienização bucal em dia

4 min de leitura

Compartilhar

Saúde bucal do adulto: como ter um sorriso saudável por toda a vida?

Com o passar dos anos, os cuidados com a saúde bucal mudam, apesar de nunca cessarem. Independentemente da fase da vida, é impossível dissociar a saúde bucal de uma pessoa com seu estado de saúde geral.

Na fase adulta, a associação entre saúde da boca e qualidade de vida vai além das condições de saneamento, alimentação e acessos aos serviços de saúde.

A capacidade de um indivíduo de falar, mastigar, viver livre de dor e desconforto, sorrir, reconhecer o sabor dos alimentos e se relacionar com outras pessoas sem constrangimento são essenciais para definir sobre quão bem um indivíduo pode viver.

Principais doenças que prejudicam a saúde bucal

Algumas doenças estão diretamente ligadas à higienização bucal e podem ser resolvidas com visitas periódicas ao dentista e cuidados com a boca. Outras, muito comuns nessa fase da vida, podem estar associadas às doenças crônicas e sistêmicas, como diabetes mellitus, tuberculose, aids, entre outras.

A doença gengival é um dos principais problemas que acometem o paciente adulto. A gravidade depende de fatores de risco, como: fumo, condições sistêmicas e componente genético da doença.

A doença gengival ou doença periodontal

A doença periodontal é a principal causa para a perda de dentes em adultos. Ela aparece quando a placa bacteriana (uma camada que reúne bactérias periodontais e partículas de alimentos) não é removida regularmente com a escovação e o uso de fio dental.

O crescimento da placa bacteriana acaba provocando uma resposta inflamatória do nosso organismo, levando ao sangramento, ao inchaço e à inflamação das gengivas. O primeiro estágio é conhecido como gengivite; se não tratada, ela pode progredir para a periodontite.

O tratamento pode ser dividido da seguinte forma:

  • Melhora na higiene bucal
  • Limpeza profissional
  • Antibióticos (para tratar as inflamações)
  • Cirurgia periodontal

A cárie dentária

A cárie dentária aparece devido às atividades metabólicas das bactérias, que acabam resultando em lesões no dente.

Além do tratamento da cárie em si, um trabalho de prevenção e instrução de higiene bucal, incluindo orientações sobre escovação, uso do fio dental, limpeza da língua e frequência de higienização são essenciais para frear esse processo e evitar novas restaurações.

Os principais fatores de risco para as cáries são:

  • Fatores culturais e socioeconômicos
  • Falta de acesso ao flúor
  • Acúmulo de placa bacteriana
  • Consumo excessivo e frequente de açúcar
  • Xerostomia (boca seca)

Câncer de boca

O câncer de boca afeta os lábios e o interior da boca (gengivas, bochechas, céu da boca, língua, assoalho – região embaixo da língua – e tonsilas palatinas. O câncer do lábio é mais comum em pessoas brancas e ocorre mais frequentemente no lábio inferior.

Os principais fatores de risco são:

  • Fatores culturais e socioeconômicos
  • Tabagismo (uso de cachimbos, hábito de mascar fumo, entre outros)
  • Consumo de bebidas alcoólicas
  • Exposição à radiação solar
  • Má higiene bucal
  • Uso de próteses dentárias mal ajustadas
  • Deficiência imunológica (adquiridas ou congênitas)

Homens acima de 40 anos de idade, fumantes e portadores de próteses mal adaptadas têm maior risco para a ocorrência de câncer de boca. Eles devem fazer exames periódicos e autoexame da boca, além de assumir a responsabilidade individual pela manutenção da sua saúde bucal.

O tabagismo responde por cerca de 90% dos casos de câncer bucal. De cada dez casos de câncer bucal, nove estão relacionados ao uso do fumo ou do álcool.

Se diagnosticado no início e tratado da maneira adequada, a maioria dos casos (80%) desse tipo de câncer tem cura. Geralmente, o tratamento emprega cirurgia e/ou radioterapia.

Bruxismo

A principal característica do bruxismo é o apertar ou ranger de dentes. Esses movimentos podem ser realizados involuntariamente durante o sono (bruxismo noturno) ou durante o dia, em situações de estresse (bruxismo de vigília).

Essa pressão pode provocar desgaste e amolecimento dos dentes e, em casos mais graves, pode acarretar também problemas ósseos, na gengiva e na articulação da mandíbula (ATM).

Quanto ao diagnóstico, é comum apresentar desgaste nos dentes, fratura de restauração ou de dente, língua marcada pelos dentes e/ou linha branca na parte interna da bochecha. Além disso, o bruxismo noturno pode ser um sinal relacionado à apneia do sono e pode apresentar desgastes dentários ainda mais severos.

Saúde bucal e outros fatores

Além das diretamente relacionadas à higienização bucal, outras doenças e fatores são preponderantes para o aparecimento de problemas de saúde bucal.

A abordagem multidisciplinar é fundamental, assim como a troca de informações entre os profissionais de saúde quanto à gravidade da doença, ao grau de controle, ao ajuste na dose de medicamentos e às recomendações nutricionais.

Fumantes

Fumantes apresentam maior risco de doença periodontal e de perda dentária. O cigarro possui uma substância que diminui a vascularização e o aporte sanguíneo para as diversas áreas da boca.

Com isso, acontece uma diminuição das células de defesa em regiões infectadas por bactérias, aumentando a chance de perda dental. Nesse caso, é importante reduzir o fumo para manutenção da saúde geral e bucal.

Diabéticos

As manifestações bucais comuns em diabéticos não controlados são: sensação de boca seca, sensibilidade dolorosa na língua, alteração no paladar, modificação da flora bucal com tendência à candidíase e doença periodontal.

O tratamento odontológico do diabético deverá ser priorizado e a higiene bucal, criteriosa, pois as infecções agudas e as condições inflamatórias podem aumentar a taxa de glicose.

HIV e tuberculose

A atenção à saúde bucal é um dos pilares para a manutenção da saúde geral da pessoa que vive com HIV ou tuberculose e, em especial, das pessoas com sistema imunológico comprometido, sujeitas a várias doenças oportunistas na cavidade bucal.

Os primeiros sinais clínicos da Aids costumam se manifestar na boca em doenças como candidíase e as leucoplasias pilosas. Elas acabam funcionando como indicadores do quão comprometido está o sistema imunológico do paciente e ajudam no diagnóstico precoce de infecções.

De modo geral, uma boa higiene bucal, com escovação e uso do fio dental, são fundamentais para a manutenção da saúde bucal de um indivíduo adulto. Visitas periódicas ao dentista para limpeza de placas bacterianas e acompanhamento de cáries fazem muita diferença no comprometimento dos dentes.

Agora que você conferiu a importância de cuidar de sua saúde bucal, que tal assegurar a preservação e higiene visitando o dentista periodicamente?

Conheça os planos odontológicos da Unimed-BH

Pensando em você e sua família, a Unimed-BH preparou uma série de conteúdos sobre cuidados com a saúde bucal para todas as idades, confira:

Lactante e dentista: o que pode e o que não pode?

Odontogeriatria: entenda a importância da saúde bucal para o idoso

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×
Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

Comentários

error: © Copyright Unimed-BH 2021