Pernas inchadas na gravidez: o que fazer para aliviar?

Maternidade

30/03/2021

Apesar de ser muito comum, o inchaço na gravidez, nas pernas ou pés pode ser amenizado. Saiba como reduzir esse desconforto.

5 min de leitura

Compartilhar

Pernas inchadas na gravidez: o que fazer para aliviar?

Pés e pernas inchados na gravidez são extremamente comuns e, assim como varizes, vasinhos e hemorroidas que surgem no período, tal inchaço está relacionado a aumento do peso, retenção de líquidos e, especialmente, dilatação de vasos sanguíneos.

Nem sempre o inchaço na gestação pode ser prevenido. Muitas vezes, as principais causas são genéticas ou hormonais. Mas sempre é possível minimizar o desconforto dessa condição, atenuando os sintomas com cuidados básicos. Confira!

Saiba por que as grávidas incham

Uma questão comum é por que as grávidas incham. Existem diversos fatores que contribuem para o inchaço na gravidez. A elevação no nível de alguns hormônios, em especial a progesterona, aumenta a dilatação das veias, o que favorece o surgimento de edemas, inchaços, varizes e outros sintomas relacionados.

A progesterona é fundamental para estabilizar a gravidez, pois relaxa a musculatura no entorno do útero, impedindo abortos e nascimentos prematuros. Mas esse mesmo efeito aumenta a “flacidez” de alguns vasos sanguíneos, dificultando a circulação. Além disso, o crescimento do feto e o aumento de peso na gestação também favorecem a compressão das veias da região do abdômen – a veia cava inferior e as veias ilíacas. Dessa forma, aumentam as chances de pés e pernas inchados na gravidez e também de varizes, hemorroidas e vasinhos.

O problema é ainda mais comum em famílias com histórico de problemas circulatórios e em mulheres que passam muito tempo em pé ou que têm uma vida sedentária. O inchaço aumenta em dias de muito calor e altas temperaturas. E fatores como traumas nas pernas, como esbarrões em móveis, também podem potencializar outros fatores de risco.

Pernas inchadas na gravidez: é normal?

O inchaço na gestação é normal e, sem dúvida alguma, comum para a maioria das grávidas. Isso quer dizer que o sintoma deve ser encarado com naturalidade, mas jamais negligenciado.

Além do desconforto em outros membros, pernas inchadas na gravidez podem sinalizar hipertensão e pré-eclâmpsia, uma condição que coloca em risco a mulher e o bebê. Os sinais também se confundem com o de uma trombose venosa profunda, doença circulatória que exige máxima atenção e tratamento devido ao risco de fatalidades. Quando o aumento do inchaço for repentino ou acontecer de forma assimétrica, ou seja, com mais intensidade em um dos lados do corpo, é essencial relatar tudo ao médico nas consultas de pré-natal. O mais comum é que os pés e as pernas comecem a ficar inchados a partir de 20 semanas de gestação, mas geralmente o problema se manifesta com mais intensidade no terceiro trimestre.

Pés inchados na gestação

Assim como acontece com as pernas, os pés inchados na gestação são quadros frequentes. Na verdade, é comum notar o inchaço deles primeiro. As causas são as mesmas do inchaço nas pernas e as formas de tratamento também, mas o incômodo é maior quando sapatos e sandálias que serviam há poucas semanas, de repente se tornam desconfortáveis, fazendo com que as futuras mamães evitem usá-los.

O mais usual é que pernas e pés inchem simultaneamente, pois pertencem a uma condição temporária. Pode ser preciso mudar os calçados – uma adaptação necessária para oferecer uma locomoção segura à mãe, que logo voltará a usar as peças de costume.

Inchaço no final da gravidez é sinal de que o parto está próximo?

E o inchaço no final da gravidez? É sinal de que o parto está próximo? Definitivamente não. Ele pode aparecer do começo ao fim da gravidez e geralmente não indica que o bebê já vai nascer. Já a eliminação do tampão mucoso, a queda do ventre, contrações e menor movimentação do feto são sinais mais evidentes de que o parto se aproxima.

Por outro lado, um inchaço repentino na gestação requer maior atenção, pois pode indicar o aumento da pressão arterial. A hipertensão gestacional está ligada a diversas condições que envolvem risco para a gestante e podem, inclusive, demandar uma cesárea de emergência.

Inchaço na gravidez – Dicas para melhorar

Não existe uma solução milagrosa capaz de resolver todos os problemas de inchaço na gravidez. Mas é possível atenuar os sintomas com alguns cuidados simples, minimizando o desconforto e dando mais qualidade de vida às gestantes.

1. Reduza o consumo de sal

A gravidez não é o momento para experimentar dietas restritivas ou pensar em perder peso, mas a redução no consumo de sal, substituindo-o por outros temperos, pode ser benéfica. O sal favorece a retenção de líquidos no corpo e, consequentemente, o inchaço.

Além da redução do consumo direto de sal, também vale a pena ficar de olho no sódio de alimentos industrializados. É comum que refrigerantes diet, biscoitos e até doces tenham alto teor de sódio.

2. Considere as meias de compressão para gestante

As meias de compressão para gestante têm elasticidade e são uma boa aliada para quem sofre com pernas inchadas na gravidez. Elas podem reduzir significativamente o incômodo se usadas regularmente e aumentar o bem-estar da gestante.

A dica aqui é colocar as meias logo pela manhã, antes mesmo de se levantar da cama, para evitar a formação do inchaço. Calçar as meias pode ser um pouco difícil, especialmente nas últimas semanas de gestação, quando a barriga dificulta os movimentos. Neste momento é uma boa contar com a ajuda do parceiro, da parceira ou de um parente.

Entre as recomendações médicas está a meia três quartos, até os joelhos, ou a meia-calça para gestante, exclusiva e indicada também na prevenção da trombose.

3. Submeta-se à drenagem linfática

A drenagem linfática é uma técnica de massagem que pode ter resultados excelentes na redução de inchaço em pernas e pés. Em uma sessão de drenagem, o profissional massageia os gânglios linfáticos (linfonodos) e movimenta os líquidos acumulados no corpo.

Para garantir a eficácia do tratamento, procure sempre por especialistas que tenham formação na área, idealmente indicados pelo médico obstetra. A capacidade técnica do profissional faz toda a diferença no resultado.

4. Beba muita água

Beber aproximadamente 2 litros de água ao longo do dia é importante para vários fatores relacionados à gravidez; o controle do inchaço é mais um deles. A água ajuda a diluir os minerais que causam a retenção de líquidos e favorece a circulação sanguínea. Para ter melhor resultado, não beba tudo de uma vez: distribua a ingestão de água ao longo do dia e evite ficar com a sensação de sede.

5. Evite ficar muito tempo sentada ou em pé

É recomendável que a gestante evite passar longos períodos sentada ou em pé, especialmente no último trimestre. Ambas as posições aumentam a compressão de veias e, com isso, o inchaço de pernas e pés.

Para quem trabalha em pé, a dica é se movimentar bastante e fazer uma pausa a cada hora, sentando-se ou, melhor ainda, deitando-se com as pernas elevadas. Já as grávidas que trabalham sentadas devem fazer o oposto: intercalar pequenos intervalos para caminhar ao longo do dia e repousar quando puder.

6. Repouse com as pernas elevadas

Pode parecer paradoxal que, nos últimos dias de gravidez, tanto as posições sentadas quanto as em pé sejam incômodas para a gestante. Mas a verdade é que sim; chega um momento em que é difícil achar conforto, especialmente para quem sente inchaço na gestação.

Uma sugestão para amenizar isso é repousar com os pés elevados, o que pode ser feito com a mulher sentada, com os pé apoiados em um móvel mais alto que o seu assento. Ou então deitada, com travesseiros especializados, ou até mesmo os comuns, empilhados sob os pés.

7. Pratique exercícios físicos regularmente

Por fim, a prática de exercícios físicos favorece a circulação sanguínea e reduz inchaços. Mas, logicamente, a gestante jamais deve fazer atividades de alto impacto, como lutas ou algo que envolva saltos; tampouco de alta intensidade, como corridas de velocidade ou crossfit. Na gravidez, o ideal são exercícios regulares de intensidade moderada e risco controlado. Para não errar, converse com o obstetra e com um profissional da área de educação física.

Em síntese, pés e pernas inchados na gravidez são sinais típicos, mas que não devem ser nem negligenciados nem superestimados. Com a atenção certa e pequenos cuidados, é possível ter qualidade de vida e superar esse pequeno obstáculo em uma etapa tão única e importante.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.

Comentários