Lesões articulares: como proteger a cartilagem de traumas e doenças?

Prevenção e Controle

06/04/2021

Cuidar das cartilagens articulares é fundamental para a mobilidade, o bem-estar e a prevenção da lesão articular e de doenças como artrose

5 min de leitura

Compartilhar

Lesões articulares: como proteger a cartilagem de traumas e doenças?

As cartilagens articulares são proteções importantes para o nosso corpo. Por serem um “escudo” para as articulações, é preciso ter cuidado com elas para se proteger de lesões articulares.

Doenças, traumas e condições diversas podem acarretar problemas na estrutura desse tecido, e a recuperação é lenta, difícil e, em alguns casos, não acontece por completo devido à sua composição pouco vascularizada.

Entre as principais causas do comprometimento desse tecido estão a lesão articular e a artrose, que são causadas por fatores completamente diferentes, mas ambas necessitam de atenção e cuidado.

O que é cartilagem articular?

Mesmo se tratando de uma parte importante do nosso corpo, muita gente não sabe o que é cartilagem articular. A cartilagem articular é um tecido que envolve as nossas articulações – joelhos, cotovelos, ombros, punhos, entre outros.

Ela tem a função de proteger os ossos, e essa proteção se dá a partir da absorção de impactos em atividades simples como o caminhar – possibilitando a movimentação sem dor – e da redução de atritos.

O que é artrose?

Entender o que é artrose é tão importante quanto conhecer seus tratamentos possíveis, pois, desta forma, fica mais fácil atuar no combate aos fatores de risco. A artrose é uma doença articular que afeta, sobretudo, joelhos, quadris, coluna e dedos da mão.

Por se tratar de uma doença crônica degenerativa, ela desgasta e leva ao comprometimento progressivo das cartilagens das articulações afetadas e ocasiona dor e inchaço. Além disso, a artrose pode causar dificuldade de mexer as juntas afetadas, podendo levar à perda da mobilidade.

Isso porque as articulações afetadas pela artrose podem apresentar lesões e erosões na cartilagem, o que faz com que o osso fique mais exposto e suscetível a doenças como meniscopatia (doença do menisco) e osteófitos – que nada mais é que uma nova formação óssea que surge a partir da articulação lesionada.

Infelizmente, a artrose não tem cura, entretanto pacientes acometidos pela doença podem contar com tratamentos para aliviar a dor e a inflamação e promover o bem-estar.

Esses tratamentos devem ser designados por um ortopedista ou reumatologista e vão desde medicamentos até uma série de hábitos que permitem a manutenção da mobilidade e ajudam a retardar a progressão da doença.

O que causa artrose?

A artrose tem diversos fatores de risco. O principal deles é a idade: pessoas após os 50 anos de idade têm mais chances de desenvolver a doença, já que a condição é uma consequência do desgaste natural que ocorre com o envelhecimento.

O gênero também é um fator de risco para o diagnóstico da artrose. Mulheres têm mais chances de serem diagnosticadas com a doença, mas não há fatores que expliquem essa associação.

Sobrepeso, tabagismo e doenças como diabetes, hipotireoidismo e gota também estão associadas ao surgimento de casos de artrose, bem como traumas anteriores nas articulações e malformações ósseas congênitas.

Os principais sintomas da artrose são dores, inchaços e rigidez nas articulações, assim como dificuldade de movimentos. O diagnóstico é feito por um ortopedista ou reumatologista por meio da análise de sintomas; e a confirmação, pela realização de ressonância magnética.

Lesões articulares: como evitar?

Diferentemente da artrose, que se apresenta pelos desgastes nas articulações, as lesões articulares são danos na cartilagem articular, geralmente causados por traumas. A lesão na articulação é a ruptura de um tecido preservado e em bom estado.

O principal sintoma de lesão articular é a dor intensa no local atingido, que pode estar associada a edemas ou estalidos ao se movimentar. É comum ver a incidência da lesão em pacientes jovens, e ela pode ser identificada pela ressonância magnética.

E a melhor forma de evitar lesões articulares é o cuidado, evitando atritos e impactos brutos, bem como traumas nas articulações.

Dicas de prevenção da lesão articular e da artrose

As dicas de prevenção da lesão articular e da artrose são as mesmas. Apesar de se tratarem de diferentes diagnósticos, fortalecer os músculos e as articulações é um bom caminho para evitar ambas as condições.

É importante lembrar, entretanto, que a lesão articular acontece a partir de traumas nas articulações; por isso, o fortalecimento delas não garante a isenção de episódios nos quais possam ser danificadas.

Além de promover o fortalecimento e evitar lesões articulares, a prática de exercícios físicos tem grandes efeitos na prevenção de doenças e no bem-estar geral do corpo em qualquer idade.

Inclusive na terceira idade, em que são mais comuns os diagnósticos de artrose, uma rotina de exercícios aeróbicos e de fortalecimento muscular é fundamental para a autonomia, a segurança e a independência do idoso.

Para que os exercícios físicos tenham impactos positivos na prevenção da artrose e da lesão articular, eles precisam ser feitos com cuidado. A partir da orientação de um ortopedista ou reumatologista, o programa de atividade física será adequado de acordo com o nível de condicionamento físico e quadro clínico de cada pessoa.

No caso de pacientes já diagnosticados com artrose, ele será direcionado com o intuito de retardar a progressão da doença e promover melhora na mobilidade e no convívio com a doença.

Como se beneficiar dos exercícios físicos para prevenir lesões articulares:

Evitar exageros

Ao praticar exercícios sem respeitar os limites, o efeito pode ser reverso – ao invés de auxiliar na prevenção, pode ocasionar uma lesão articular. Faça pausas quando sentir cansaço e aumente a frequência, a duração e a intensidade das práticas de forma lenta e gradual, sem tentar fazer muito em pouco tempo.

Aquecer e alongar

Para que seu corpo se adapte ao ritmo de exercícios, é preciso mostrar para ele que você vai iniciar a prática. O ideal é iniciar com movimentos de aquecimento, passando para alongamento e finalizando a primeira fase com estímulos de mobilidade articular – especialmente importantes na prevenção da lesão articular.

Não se esqueça de realizar a atividade principal em intensidade moderada. No final da atividade, é importante reduzi-la de forma progressiva, para evitar problemas como a queda de pressão pós-esforço.

Aprender corretamente as técnicas

Para que a prática de exercícios físicos tenha impacto positivo na prevenção da artrose e lesões na articulação, ela deve ser acompanhada por um profissional. Ele poderá orientar e indicar a forma certa de fazer movimentos, utilizar aparelhos e evitar complicações nas cartilagens articulares.

Além do exercício físico, o controle de fatores de risco comportamentais é essencial na prevenção da artrose e da lesão articular, pois ajuda a fortalecer as cartilagens articulares.

Pessoas com obesidade devem iniciar o processo de emagrecimento com exercícios de baixo impacto e investir no fortalecimento muscular, pois o sobrepeso sobrecarrega as articulações, causando o seu enfraquecimento.

O tabagismo também deve ser evitado. Isso porque o uso do cigarro tem relação com a má nutrição dos tecidos articulares, além de dificultar a cicatrização de fraturas e ter relação com o surgimento de doenças reumatológicas.

Atuar nos fatores de risco e manter uma rotina de exercícios físicos é um bom caminho para prevenir a artrose e, em pacientes já diagnosticados com a doença, é fundamental para manter o bem-estar e atrasar a evolução da doença.

Mesmo não oferecendo uma garantia de prevenção de lesões articulares, a prática de exercícios moderados ajuda a tornar as cartilagens articulares menos suscetíveis à lesão em caso de traumas.

Por essas e por outras, vale a pena manter um estilo de vida saudável, moderado e com uma rotina de atividades de fortalecimento e mobilidade.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.

Comentários