Vacinação infantil: qual a importância das vacinas para crianças?

Prevenção e Controle

29/04/2021

As vacinas para crianças garantem a proteção contra várias doenças. Listamos aqui o calendário vacinal e a importância do acompanhamento dos pais.

4 min de leitura

Compartilhar

Vacinação infantil: qual a importância das vacinas para crianças?

A vacinação infantil é uma das medidas mais importantes de prevenção contra diversas doenças. A vacina protege o organismo de vírus e bactérias que provocam enfermidades que podem trazer complicações de saúde, deixar sequelas e até levar à morte.

Crianças estão mais suscetíveis a doenças porque a defesa imunológica ainda é fraca. Por isso, é importante seguir corretamente o calendário de vacinação infantil. Quanto mais as vacinas são aplicadas no período correto, mais cedo as crianças estão protegidas.

Manter a carteira de vacinação em dia é primordial. Descubra as razões neste artigo imperdível!

Vacinação infantil: importância vital

Para manter a saúde dos filhos em dia, é necessário que os pais ou responsáveis mantenham o esquema vacinal completo.

O ideal é que nenhuma criança tenha o processo de imunização interrompido. Isso porque, além de proteger a criança individualmente, a vacinação infantil protege toda a sociedade, pois impede que os vírus voltem a circular.

Buscar esclarecimento a respeito do assunto é fundamental. Para isso, converse com o pediatra do seu filho e tire todas as suas dúvidas. Depois, se informe na Unidade de Saúde mais próxima e garanta o recebimento das doses por idade das vacinas de crianças.

Calendário de vacinação infantil

O calendário de vacinação infantil é uma ótima ferramenta para acompanhar e conferir o esquema de imunização da sua criança. Neste arquivo, estão detalhadas as vacinas infantis, permeando a faixa etária até < 10 anos.

Vacinas para crianças: saiba quais são e o que evitam

A seguir, acompanhe a descrição detalhada das vacinas para crianças, com os respectivos períodos de aplicação, conforme o Calendário Nacional de Vacinação.

BCG

A sigla BCG significa Bacilo de Calmette e Guérin, que imuniza contra a tuberculose.

Quando vacinar?

A dose é única e deve ser aplicada nos primeiros 30 dias de vida. Na ausência da cicatriz no local da aplicação, não é necessário revacinar. A Organização Mundial da Saúde aponta que a ausência da cicatriz da BCG após a vacinação não é um indicativo de ausência de proteção.

Vacina Hepatite B (HB recombinante)

A hepatite B é uma infecção grave que acomete o fígado. Para manter seu pequeno longe dessa doença, a HB recombinante é uma das principais vacinas para crianças.

Quando vacinar?

A dose isolada na infância é única e deve ser aplicada nos primeiros 30 dias de vida. As demais doses são dadas através da vacina pentavalente, com 2, 4 e 6 meses de idade.

Vacina contra difteria, tétano, coqueluche, Haemophilus tipo b e hepatite B (Vacina Pentavalente)

Quando vacinar?

São três doses, aplicadas aos 2, 4 e 6 meses de idade; e dois reforços, aos 15 meses e aos 4 anos, feitos com a vacina DTP (vacina tríplice bacteriana, que previne difteria, tétano e coqueluche).

Vacina Poliomielite (VOP / VIP)

A poliomielite é uma doença transmitida por vírus que pode causar paralisia parcial ou total.

Quando vacinar?

A VIP, injetável, deve ser aplicada em três doses: aos 2, 4 e 6 meses de idade. A VOP, oral (gotinha), em duas doses de reforço: a primeira aos 15 meses de idade e a outra aos 4 anos.

No Brasil, todas as crianças menores de 5 anos de idade devem receber a vacina durante a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, independentemente de já estarem em dia com as doses anteriores.

Vacina Rotavírus Humano G1P1 (VORH)

Diarreia, desidratação, vômito e febre são sintomas que podem estar relacionados ao rotavírus humano.

Quando vacinar?

São duas doses, sendo a primeira aos 2 meses (de 1 mês e 15 dias a 3 meses e 15 dias) e a segunda aos 4 meses (de 3 meses e 15 dias a 7 meses e 29 dias). O intervalo entre as duas doses deve ser de, no mínimo, 30 dias.

Vacina Difteria, Tétano, Pertussis (DTP), Difteria e Tétano (dT) e Difteria, Tétano, Pertussis acelular (dTpa)

A difteria e o tétano são doenças que, no passado, apresentaram alta taxa de mortalidade infantil no país. Felizmente, é possível reforçar a saúde dos pequenos por meio desta importante vacina infantil.

Quando vacinar?

São necessários dois reforços, um aos 15 meses de idade e outro aos 4 anos, considerando que a criança recebeu a imunização com a vacina pentavalente.

Vacina Pneumocócica 10-Valente

As doenças pneumocócicas (pneumonia, meningite e otite) podem gerar várias complicações ao organismo infantil devido à bactéria pneumococo no sangue.

Quando vacinar?

A primeira dose deve ser aplicada aos 2 meses de idade, a segunda aos 4 meses e o reforço aos 12 meses.

Vacina Meningocócica C Conjugada

De acordo com a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), essa vacina para crianças protege contra meningite e meningococcemia.

Quando vacinar?

São duas doses: aos 3 e 5 meses de idade. O reforço deverá ser aplicado aos 12 meses.

Vacina Febre Amarela

Transmitida por mosquitos em regiões de matas, o contágio por febre amarela foi reduzido graças à vacinação infantil e também à de adultos, de acordo com o esquema vacinal atualizado.

Quando vacinar?

A primeira dose deve ser aplicada aos 9 meses de idade e o reforço aos 4 anos. Em regiões endêmicas, a primeira dose deve ser antecipada para os 6 meses de idade.

Vacina Sarampo, Caxumba, Rubéola (Tríplice Viral – SCR) + Varicela (Tetraviral – SCRV)

Aqui está uma das vacinas de crianças com cobertura abrangente, no sentido de proteger contra várias doenças, conforme o nome já diz.

Quando vacinar?

A primeira dose da tríplice viral (SCR) deve ser aplicada aos 12 meses de idade e o reforço aos 15 meses (com a tetraviral – SCRV).

Vacina Hepatite A

Assim como a hepatite B, a hepatite A é uma doença altamente contagiosa que pode ser evitada com a vacina.

Quando vacinar?

A dose é única e deve ser aplicada aos 15 meses de idade.

Vacina Papilomavírus Humano (HPV)

O papilomavírus humano (HPV) é uma infecção que pode ocasionar graves consequências. A vacina protege o público ainda na puberdade e evita o contágio na fase adulta.

Quem deve receber a vacina?

Meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos podem tomar a vacina gratuitamente.

Quando vacinar?

O esquema vacinal é de duas doses (entre as idades-limite citadas acima), com intervalo mínimo de seis meses entre as doses.

A vacina oferece maior eficácia na proteção de indivíduos não expostos aos tipos virais presentes em sua composição; por isso, é mais indicada para meninas e meninos que ainda não iniciaram a vida sexual. Para outros grupos etários, caso haja indicação médica, a vacina está disponível em serviços privados.

Opções de vacinação na rede particular

A vacina particular é uma opção para os que pretendem ampliar a cobertura para alguns patógenos e diminuir as reações a vacinas. A decisão sobre quais vacinas sua criança deve tomar (na rede pública ou na rede privada) deve ser discutida com o pediatra.

Como você pode perceber, a vacinação infantil é fundamental para a proteção das crianças. Daí a relevância de evitar a propagação de doenças por meio do cumprimento adequado do calendário de vacinação das crianças. É uma forma de os pais assegurarem o crescimento saudável, maior bem-estar e qualidade de vida às suas crianças.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×
Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

Comentários

error: © Copyright Unimed-BH 2021