Enjoo na gravidez: saiba como tratar os episódios

Maternidade

30/03/2021

O enjoo na gravidez é um dos primeiros sintomas na jornada da gestação, mas náuseas e vômitos excessivos podem ser um sinal de alerta

3 min de leitura

Compartilhar

Enjoo na gravidez: saiba como tratar os episódios

A gravidez é um processo da vida marcado por emoção, alegria e muitas mudanças no corpo da mulher. Entre os primeiros sinais de que há um bebê a caminho, estão as náuseas e os vômitos, típicos do primeiro trimestre da gestação.

Na maioria dos casos, o enjoo na gestação é comum e não precisa ser motivo de preocupação para a futura mamãe. Entretanto, é possível tratá-lo e passar por essa fase com mais qualidade de vida e bem-estar. Neste artigo, separamos algumas dicas para ensinar você a reconhecer e a tratar a condição.

Quando começam os enjoos na gravidez?

Por volta da 4ª semana, ou seja, o momento inicial da gravidez, é quando começam os enjoos. Normalmente, enjoos e tonturas indicam as primeiras alterações perceptíveis no organismo da gestante, mas esses sintomas podem se desenvolver antes mesmo da descoberta.

Apesar de causar desconforto, quando leve, o enjoo na gravidez não apresenta riscos nem para a mãe nem para o bebê. Entretanto, é importante reconhecer as diferenças entre o enjoo matinal leve (ou êmese gravídica) e o enjoo grave (ou hiperêmese gravídica). O primeiro é comum e se apresenta em mais de 80% das gestantes. O segundo é um sinal de alerta para déficit de vitaminas e necessita de um tratamento específico após diagnóstico nas consultas de pré-natal.

Êmese gravídica

Êmese gravídica é o nome que se dá ao quadro de náuseas e vômitos leves no primeiro trimestre da gravidez. Também conhecido como “enjoo matinal”, esse sintoma tende a melhorar após a 12ª semana.

Em alguns casos – cerca de 20% –, a êmese gravídica vai até o fim da gestação. Não há explicação exata para esse quadro, mas acredita-se que a recorrência do enjoo na gravidez esteja relacionada às mudanças hormonais que ocorrem no organismo durante essa fase da vida, principalmente o HCG e a progesterona.

Hiperêmese gravídica

A hiperêmese gravídica é a êmese gravídica acentuada e se caracteriza pela presença de vômitos incoercíveis, desidratação e perda de peso. Felizmente, é uma condição menos recorrente, atingindo entre 0,3% e 2% das mulheres grávidas. Trata-se de um fator persistente, uma espécie de resposta anormal ao hormônio HCG, produzido pela placenta, junto com a deficiência de vitamina B6 e citocinas produzidas pela bolsa amniótica.

Como ela pode acarretar complicações à gestação, como desidratação, é fundamental relatar sintomas de hiperêmese gravídica durante o pré-natal para receber indicações de tratamento adequado à saúde da mãe e do bebê.

Gestantes com histórico familiar também podem ser acometidas pela hiperêmese gravídica. Em episódios mais graves de vômitos, é aconselhável procurar atendimento médico com urgência.

Enjoo na gestação: quando devo me preocupar?

Em geral, a ocorrência de enjoo na gestação, principalmente pela manhã, é comum e pode ser tratada com a adoção de medidas alimentares, terapias complementares e medicações leves sob prescrição médica. Entretanto, a presença de um ou mais sintomas da hiperêmese gravídica deve acender um alerta na futura mamãe. Em caso de enjoos intensos, náusea ou vômito persistente, um médico deve ser procurado com urgência para conter as complicações que podem se desencadear, sobretudo a desidratação.

Como evitar enjoo na gravidez?

Seja em níveis mais leves, seja em mais preocupantes, essa indisposição faz com que muitas mulheres procurem aprender mais sobre como evitar enjoo na gravidez. Infelizmente, não há uma solução absoluta. Mas existem muitas formas de tratar essa condição e proporcionar mais conforto à mulher durante esse período.

Alimentação

Existem medidas alimentares que proporcionam mais conforto à gestante e ajudam a diminuir o enjoo na gravidez. Entre as recomendações estão:

  • Diminuir as porções de alimentos e o intervalo entre as refeições – fazer entre 5 e 6 refeições por dia.
  • Dar preferência a alimentos leves e frutas cítricas, como limão, abacaxi, acerola e laranja.
  • Evitar hábitos alimentares que incluam alimentos gordurosos e pesados e bebidas gaseificadas como refrigerantes.
  • Não ingerir líquidos nas primeiras horas do dia.
  • Não passar longos períodos do dia sem se alimentar. É aconselhável manter biscoitos salgados sempre à mão para casos de necessidade.
  • Evitar a ingestão de bebidas durante as refeições.
  • Não se deitar logo após as refeições.

Terapias complementares

Algumas alternativas costumam se mostrar efetivas na redução da ocorrência de enjoos na gestação. Entre os métodos com resultados positivos estão a acupuntura, a aromaterapia, o consumo de gengibre e a suplementação de vitamina B6 – que deve ser orientada por um médico. Já o uso de antieméticos deve ser feito apenas sob orientação médica.

Seguindo as orientações médicas e cuidando da alimentação, os enjoos matinais serão cada vez menos frequentes e será muito mais fácil passar pelo primeiro trimestre da gestação com conforto e bem-estar.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.

Comentários