Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs): o que são e como prevenir   

Prevenção e Controle

25/02/2021

Conheça as principais Infecções Sexualmente Transmissíveis, seus modos de tratamento e prevenção

4 min de leitura

Compartilhar

Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs): o que são e como prevenir   

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, por dia, são registrados mais de 1 milhão de novos casos de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) no mundo. Mas o que são as ISTs? São infecções causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos e que normalmente são transmitidas em relações sexuais – vaginais, orais ou anais – sem uso de preservativo. Elas também podem ser transmitidas de mãe para filho (gestação, parto ou amamentação) ou pelo compartilhamento de seringas, agulhas ou outros materiais cortantes.

Até pouco tempo, a terminologia Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) era a empregada nesses casos. Contudo, o termo foi substituído para IST porque a pessoa pode viver com uma infecção e não necessariamente apresentar sintomas, como no caso do HPV e do HIV em tratamento.

Quais são as principais ISTs?

As ISTs são consideradas como um dos problemas de saúde pública mais comuns. Estima-se que, ao ano, ocorram cerca de 357 milhões de novas infecções no mundo, entre clamídia, gonorreia, sífilis e tricomoníase. Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2018 foram registrados, no Brasil, 158.051 casos de sífilis, sendo 62.599 em gestantes. A taxa de detecção da doença adquirida por 100 mil habitantes passou de 25 (em 2014) para 75,8 (em 2018).

Existem mais de 30 tipos de Infecções Sexualmente Transmissíveis, mas as mais conhecidas são:

HIV

A sigla HIV vem do inglês e significa vírus da imunodeficiência humana. Ele é um retrovírus que altera o DNA dos linfócitos (responsáveis pela defesa do organismo) para fazer cópias de si mesmo. Depois de se multiplicar, o vírus rompe os linfócitos em busca de outros para continuar a infecção. A doença causada pelo HIV é a aids. Segundo o Boletim Epidemiológico de HIV/Aids 2020, atualmente cerca de 920 mil pessoas vivem com HIV no Brasil, sendo que 89% delas foram diagnosticadas e 77% fazem tratamento com antirretroviral. Das pessoas em tratamento, 94% não transmitem o HIV por via sexual por terem atingido carga viral indetectável. Apesar de já ter sido considerado um dos vírus mais mortais da humanidade, hoje, com os tratamentos com antirretrovirais, é possível viver com o HIV e ter a sua carga viral indetectável. Nestes casos, não há transmissão do vírus.

Sífilis

Exclusiva do ser humano, a sífilis é uma infecção curável causada por bactéria. Os principais sintomas são ferida (geralmente única, no local de entrada da bactéria) e manchas no corpo, que geralmente não coçam. Pode ocorrer também febre, mal-estar, dor de cabeça e ínguas pelo corpo.

Herpes genital

Herpes genital é causada pelo vírus do herpes simples (HSV) e provoca lesões na pele e nas mucosas dos órgãos genitais masculinos e femininos. O herpes não tem cura: uma vez que haja infecção, a pessoa carregará o vírus pela vida inteira. O vírus pode permanecer assintomático por muitos anos e a doença costuma aparecer em momentos de imunidade baixa, como estresse, alterações hormonais ou outras infecções.

Gonorreia e infecção por clamídia

Causadas por bactérias, na maior parte dos casos a gonorreia e a infecção por clamídia aparecem de forma associadas, causando infecção que atinge os órgãos genitais, a garganta e os olhos. Apesar de serem assintomáticas na maioria dos casos, os sintomas mais frequentes são corrimento vaginal com dor no baixo ventre na mulher e, nos homens, corrimento no pênis e dor ao urinar.

Infecção pelo papilomavírus (HPV)

O HPV vem da sigla em inglês para papilomavírus humano e é um vírus que infecta a pele ou as mucosas (oral, genital ou anal). Ele provoca verrugas nas regiões genital e anal e pode causar até câncer. A transmissão do HPV se dá por contato direto com a pele ou mucosa infectada e pode acontecer mesmo que a pessoa infectada não apresente sintomas da doença. No Brasil, a vacina contra o HPV é distribuída gratuitamente pelo SUS e é indicada para:

  • meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos;
  • pessoas que vivem com HIV na faixa etária de 9 a 26 anos;
  • pessoas transplantadas na faixa etária de 9 a 26 anos.

Hepatites virais B e C

As hepatites virais são infecções que atingem o fígado e, apesar de comumente não apresentarem sintomas, quando presentes, se manifestam como: cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Estima-se que as hepatites causem cerca de 1,4 milhão de mortes por ano no mundo. Ainda que a hepatite B não tenha cura, a vacina contra essa infecção é ofertada pelo SUS. Já para a hepatite C há tratamento medicamentoso.

Cancro mole

Conhecida como cancroide ou cancro mole, esta IST é característica das regiões tropicais (mais quentes). Causada pela bactéria Haemophilus ducreyi, ela causa lesões ulcerosas na região genital. Tem alta transmissibilidade e acomete igualmente homens e mulheres, especialmente jovens sexualmente ativos (de 21 a 30 anos).

Como identificar os sintomas de IST

Apesar de cada IST possuir características específicas, seus sinais aparecem principalmente nos órgãos genitais, mas podem surgir também em outras partes do corpo, como na palma das mãos e nos olhos.

Os sintomas podem manifestar-se de diversas maneiras, mas as três principais manifestações clínicas das ISTs são:

  • Feridas
  • Corrimentos
  • Verrugas nas regiões genital e anal

O corpo deve ser observado durante a higiene pessoal, pois isso pode ajudar a identificar sinais de uma Infecção Sexualmente Transmissível no estágio inicial.

Se notar algum sinal, procure uma unidade de saúde e informe-se.

Formas de prevenção das ISTs

Quem tem relação sexual desprotegida pode contrair uma IST. Mesmo que uma pessoa aparente estar saudável, ela pode estar infectada. Por isso, o uso da camisinha (masculina ou feminina) em todas as relações sexuais (orais, anais e vaginais) é o método mais eficaz para evitar a transmissão das ISTs e também para evitar a gravidez.

Mantenha sua vacinação em dia. As vacinas são muito seguras, efetivas e recomendadas para prevenir hepatite B e infecções pelo vírus HPV.

Durante o parto ou até mesmo no momento da amamentação, muitas doenças podem ser transmitidas ao bebê. Esse problema pode ser evitado com um pré-natal de qualidade, que garante um parto adequado e informa as mães sobre as medidas que devem ser tomadas para evitar a contaminação da criança após o nascimento.

É importante observar os materiais utilizados por tatuadores e salões de beleza. Eles devem estar devidamente esterilizados ou ser descartáveis. Uma dica importante é sempre levar o próprio material para o salão de beleza e não dividir seu uso com ninguém.

Não compartilhe seringas, agulhas e outros objetos que favoreçam a contaminação por ISTs.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.

Comentários