Sarampo: causas, sintomas, tratamento e a importância da vacinação

Prevenção e Controle

06/05/2022

O sarampo é uma doença altamente contagiosa transmitida pelo ar. Saiba mais sobre a doença e aprenda a se proteger com a vacinação!

3 min de leitura

Sarampo: causas, sintomas, tratamento e a importância da vacinação

O sarampo é uma doença muito conhecida e contagiosa. Enquanto a doença não é considerada erradicada no Brasil, especialmente em função de baixa adesão às campanhas de vacinação, é preciso ficar de olho nesse mal que afeta, principalmente, as crianças.

Apesar de possuir uma vacina altamente eficaz e amplamente difundida, o sarampo ainda assusta. No Brasil, um grande número de casos vem sendo registrado nos últimos anos. Apenas entre os anos de 2018 e 2021, foram registrados 39,3 mil casos de sarampo e 40 óbitos no país. Os dados são da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

Saiba quais são os sintomas do sarampo, quando eles se manifestam, como é o tratamento e o mais importante: como a vacinação contra o sarampo pode prevenir a doença e salvar vidas.

O que é o sarampo e como é transmitido

O sarampo é causado por um vírus extremamente contagioso. DSeu contágio é tão elevado que, se 10 pessoas que não foram vacinadas estivessem em uma sala com alguém com sarampo, possivelmente nove dessas pessoas seriam contaminadas.

Após o contágio inicia-se o período de incubação do vírus, com duração entre 8 a 13 dias. Em seguida os sintomas aparecem e podem persistir por até duas semanas.

O sarampo é transmitido por:

  • Gotículas contaminadas que se espalham pelo ar quando você tosse, espirra ou fala. Essas gotículas podem permanecer no local mesmo depois que a pessoa com sarampo se foi.
  • Beijar alguém que tem sarampo.
  • Compartilhar bebidas ou comida com alguém com sarampo.
  • Apertar as mãos ou dar as mãos ou abraçar alguém com sarampo.
  • De grávidas a seus bebês – seja durante a gravidez, parto ou durante a amamentação.

Quais são os sintomas do sarampo?

Os sintomas mais comuns do sarampo incluem:

  • Febre alta.
  • Mal estar.
  • Nariz escorrendo
  • Irritação nos olhos
  • Tosse.
  • Cansaço
  • Falta de apetite
  • Aparecimento de pequenas erupções avermelhadas que se iniciam geralmente no rosto e no pescoço e depois se espalham para o tronco e membros

Pode haver também dor de garganta, manchas brancas na boca e sensibilidade à luz (causando dor nos olhos).

Complicações

O sarampo pode levar a várias complicações em crianças e adultos, algumas delas graves. As mais frequentes são:

  • Pneumonia bacteriana e outras infecções respiratórias
  • Otites
  • Diarreia grave
  • Complicações neurológicas como a encefalite (um “inchaço no cérebro”)

O sarampo se manifesta de forma agressiva em mulheres grávidas. O sarampo na gravidez pode acarretar consequências como:

  • Perda de gravidez
  • Parto prematuro
  • Baixo peso de nascimento

Pessoas com um sistema imunológico enfraquecido e crianças muito pequenas também apresentam maior risco de complicações do sarampo.

Diagnóstico e tratamento contra o sarampo

O diagnóstico da doença deve ser feito por um médico e ele deve ser procurado imediatamente após o aparecimento dos sintomas, no consultório ou no centro de saúde.
Não há tratamento específico para o sarampo. São tratados os seus sintomas e as suas complicações.

Se não houver complicações, o médico recomendará o tratamento dos sintomas, repouso e hidratação. Se houver risco de complicações, o médico pode indicar uma internação em hospital.

Vacinação contra sarampo: como funciona?

O sarampo continua sendo uma das principais causas de mortes entre crianças pequenas em todo o mundo, embora, há décadas, exista uma vacina segura e eficaz para prevenir a doença.

A vacinação contra o sarampo busca interromper a circulação ativa do vírus no país, minimizar a carga da doença, proteger a população, além de evitar sobrecarga sobre os serviços de saúde.

Apesar de altamente eficaz e de ter campanhas amplamente divulgadas, a campanha de vacinação contra o sarampo vem registrando taxas de cobertura insuficientes desde 2017, quando o indicador foi de 86,2%. Em 2021, a cobertura caiu mais e chegou a 71,4%.

Quem deve se vacinar?

O principal foco das campanhas de vacinação contra o sarampo é a criança, mas todos podem se vacinar.

Atualmente, a vacina é indicada para:

1ª dose: Crianças que completarem 12 meses (1 ano) de vida.

2ª dose: Aos 15 meses de idade, última dose por toda a vida.

Apesar de voltada para crianças, a vacinação também pode – e deve – acontecer para pessoas que não tomaram uma ou as duas doses do imunizante. No Calendário Nacional de Vacinação, a vacina está disponível para pessoas de 12 meses a 59 anos de idade, sendo recomendadas duas doses até 29 anos e uma dose de 30 a 50 anos, em pessoas não vacinadas.

Os trabalhadores da saúde têm indicação de receberem duas doses da vacina tríplice viral, que inclui a anti-sarampo independentemente da idade.

Para se vacinar, basta procurar uma unidade de saúde na sua cidade com o cartão de vacina em mãos, durante os períodos divulgados e seguindo os critérios da secretaria de saúde local.

As vacinas protegem contra o sarampo e outras doenças graves, contagiosas e que podem ser erradicadas com a vacinação em massa. Saiba mais sobre a vacinação infantil, sobre as vacinas voltadas para adultos e sobre a vacinação em idosos.

Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×

Comentários