Vacinas para adultos (20 a 59 anos): tudo o que você precisa saber

Prevenção e Controle

03/05/2021

As vacinas são muito importantes para todos os adultos. Se você cresceu e se esqueceu de continuar se vacinando, está na hora de se lembrar. Coloque seu cartão de vacina em dia com este guia completo.

6 min de leitura

Compartilhar

Vacinas para adultos (20 a 59 anos): tudo o que você precisa saber

Se você tem entre 20 e 59 anos, tente se lembrar: qual foi a última vez que você tomou uma vacina? O recente imunizante contra a Covid-19 trouxe à tona a necessidade de avaliar se o esquema de vacinação está completo e colocar em dia as vacinas para adultos.

Quase sempre as vacinas são associadas às crianças. Mas, em todas as fases da vida, estamos suscetíveis a infecções por vírus e bactérias que, se não prevenidas, podem causar danos à saúde.

O que muitos não sabem é que existe um calendário de vacinação do adulto que deve ser cumprido, com vacinas disponíveis nas redes pública e privada. Homens e mulheres precisam receber essas vacinas a partir dos 20 anos de idade.

Este artigo vai ajudar você a tirar todas as dúvidas com relação à importância e à disponibilidade delas. Continue a leitura para analisar como anda seu histórico vacinal.

Calendário de Vacinação do Adulto

Provavelmente, a maioria das pessoas adultas conhece ou pelo menos tem ciência da existência de um calendário de vacinação para bebês e crianças. Desde antes do nascimento do bebê, a futura mamãe precisa se imunizar.

Após o nascimento, a agenda de vacinação do bebê é cheia – e se mantém assim até, pelo menos, o fim da infância e o começo da adolescência.

Existe, porém, uma espécie de mito em torno do calendário de vacinação do adulto: de que ele não precisa mais ser seguido. E, como todo mito, este também está errado.

O calendário anual de vacinação do adulto, como indica o nome, avança pela vida adulta. É preciso estar atento e conferir se as vacinas para adultos foram atualizadas, de modo a garantir um sistema imunológico fortalecido mesmo nas fases mais frágeis da vida.

Como você pode ver neste calendário de vacinação do adulto (SBIm), o período geralmente se inicia aos 20 anos e pode, a depender da pessoa, seguir ativo até o fim da vida.

Isso porque algumas vacinas para adultos precisam ser atualizadas – por exemplo, a vacina da gripe, que é disponibilizada anualmente de acordo com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Vacinas para adultos: quais são?

É importante pensar que a chegada da vida adulta traz um maior senso de responsabilidade (em relação ao seu corpo e perante as outras pessoas). Ou seja, é hora de conferir se o calendário vacinal está em dia e, caso não esteja, tomar as vacinas que faltam na lista.

A maioria das vacinas pode ser tomada com “atraso”, desde que sejam seguidas as recomendações médicas e o esquema de vacinação (que determina de quanto em quanto tempo cada dose será aplicada).

Conheça mais sobre as vacinas da fase adulta e confira seu histórico vacinal ou cartão de vacinação para saber se ele está atualizado e você, imunizado.

Tríplice Bacteriana Acelular do Tipo Adulto (difteria, tétano e coqueluche) – dTpa ou dTpa-VIP ou Dupla Adulto (difteria e tétano) – d

A primeira parte da vacinação contra tétano e difteria é feita em três doses que geralmente são tomadas na infância. Confira a sua carteira de vacinação para certificar-se de que ela está em ordem.

  • Quem está com o esquema básico de vacinação completo: reforço com dTpa a cada dez anos.
  • Quem está com o esquema básico de vacinação incompleto: uma dose de dTpa a qualquer momento + complemento da lista básica, com dT (dupla bacteriana do tipo adulto), totalizando três doses de vacinas com o componente tetânico.
  • Para quem nunca tomou as vacinas ou desconhece o histórico vacinal, a recomendação é tomar uma dose de dTpa a qualquer momento e duas doses de dT, seguindo o esquema de aguardar de 2 a 8 meses entre as doses.
  • Indivíduos com viagens agendadas para países onde a poliomielite ainda é endêmica devem tomar a vacina dTpa combinada com a pólio inativada (dTpa-VIP). A dTpa-VIP pode ser considerada uma substituta da dTpa.

Vacina Febre Amarela

Para adultos que não receberam a proteção na infância, a indicação é uma única dose, que pode ser aplicada a qualquer momento.

Segundo a Sociedade Brasileira de Imunologia (SBIm), uma segunda dose pode ser recomendada, dependendo do risco, dez anos após a aplicação da primeira. A possibilidade precisa ser discutida com o seu médico.

Vacinas Hepatites A, B ou A e B

Indivíduos não imunizados anteriormente para as hepatites A e B precisam ser vacinados. Existe a opção de vacina combinada para as duas variantes da doença.

Somente a vacina de hepatite B está disponível no SUS para adultos. A vacina para hepatite A e a vacina combinada A+B podem ser encontradas na rede privada.

  • Vacina Hepatite A: duas doses, com intervalo de 6 meses.
  • Vacina Hepatite B: três doses, seguindo o esquema 0 – 1 – 6 meses.
  • Vacina Hepatite A+B: três doses, no esquema 0 – 1 – 6 meses.

Vacina Tríplice Viral (sarampo, rubéola e caxumba)

O adulto deve tomar a tríplice viral se não tiver recebido as duas doses recomendadas para a imunização completa quando criança. A vacina está disponível no SUS conforme faixa etária: duas doses até os 29 anos e uma dose após os 30.

Para pessoas adultas que estão com o esquema completo de vacinação básica, a terceira dose deverá ser avaliada e indicada por um médico, podendo ser considerada em situações de risco epidemiológico, como surtos de caxumba e/ou sarampo.

Vacina Varicela (catapora)

Se o adulto não se vacinou na infância e não teve a doença, deve receber a qualquer momento a imunização. O esquema de vacinação é feito em duas doses, sendo que a segunda dose deve ser aplicada após um intervalo de, pelo menos, um mês. Essa vacina está disponível para adultos somente na rede privada.

Vacina HPV4

A vacina HPV quadrivalente (HPV4) é licenciada para mulheres dos 9 aos 45 anos e para homens dos 9 aos 26 anos. Nas Unidades Básicas de Saúde, ela está disponível para:

  • Meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos no esquema de duas doses (0-6 meses); e para ambos os sexos, de 9 a 26 anos, em condições especiais.

Para as faixas etárias nas quais o SUS não oferece a vacina, existe a opção de se vacinar na rede particular tanto com a vacina HPV quadrivalente (HPV4) quanto com a bivalente (HPV2).

Vacina Influenza (gripe)

A vacina da gripe deve ser tomada uma vez por ano, geralmente nos meses de abril e maio. A vacina influenza trivalente (3V) está disponível gratuitamente no SUS para pessoas com mais de 55 anos ou pertencentes a grupos de risco.

A rede particular oferece também a opção da vacina influenza quadrivalente (4V), que cobre a maioria das cepas em circulação.

Vacina Meningite B e Meningocócica Conjugada ACWY

Grande parte dos adultos nunca recebeu a proteção contra a meningite B e ACWY. Em pessoas maiores de 20 anos, a recomendação é tomar uma dose da vacina meningocócica ACWY (ou apenas da C) e duas doses da meningocócica B, considerando um intervalo entre 1 e 2 meses entre cada dose. Essas vacinas não estão disponíveis para adultos na rede pública.

A vacina contra a meningite B está licenciada para pessoas de até 50 anos e deve ser indicada dependendo da situação epidemiológica. A duração da proteção não é exata. Por isso, o SBIm recomenda:

  • Após o final do esquema de doses básico, aguardar um ano e tomar uma dose de reforço.
  • Pessoas pertencentes a grupos de alto risco – como portadores de asplenia anatômica ou funcional, deficiência de complemento ou pessoas em uso de biológicos que interferem na via do complemento – devem se vacinar a cada três anos.

Já a vacina meningocócica conjugada ACWY depende de indicação específica diante da situação epidemiológica. Na indisponibilidade dessa vacina, ela pode ser substituída pela meningocócica C conjugada.

Vacina Dengue

A vacina está liberada para pessoas de até 45 anos e é recomendada exclusivamente para adultos soropositivos. A indicação da vacina deve ser feita a partir de análise e avaliação médica. O esquema de vacinação da dengue prevê a aplicação de três doses, com intervalo de 6 meses entre elas.

Vacina Herpes-Zóster

Recomendada para pessoas a partir de 60 anos de idade, embora esteja liberada a partir dos 50 anos. A indicação da vacina deve ser feita por médico, após avaliação. Quem já desenvolveu a doença também pode tomar a vacina.

Nesse caso, o paciente precisa esperar um intervalo de pelo menos um ano entre o quadro agudo da doença e a aplicação da vacina. O esquema vacinal é de apenas uma dose.

Vacinas Pneumocócicas

Existem dois tipos de vacinas pneumocócicas indicadas para idosos: a pneumo 23 (VPP23) e a pneumo 13 (VCP13). O esquema de vacinação inclui uma dose de VPC13 e de VPP23.

Recomendadas para pessoas com 60 anos ou mais, ambas protegem contra doenças causadas pelo pneumococo, porém o mecanismo de ação é diferente entre elas. Esquemas de vacinação:

  • A recomendação é que a primeira dose seja da VPC13. Entre 6 meses e 12 meses depois, deve ser aplicada uma dose da VPP23. A segunda dose da VPP23 deve ser aplicada cinco anos após a primeira.
  • Quem já recebeu uma dose de VPP23 precisa esperar um ano para receber a VPC13 e cinco anos para a segunda dose da VPP23.
  • Para quem já recebeu as duas doses de VPP23, o protocolo recomenda que a VPC13 seja aplicada com um intervalo mínimo de um ano após a última dose. Para quem foi vacinado com as duas doses de VPP23 antes dos 60 anos, recomenda-se uma terceira dose após essa idade, considerando um intervalo mínimo de cinco anos entre a segunda e a terceira dose.

A vacinação nas faixas etárias entre 50-59 anos com VPC13 deve ser discutida com o seu médico. Essas vacinas estão disponíveis somente na rede privada.

Orientações importantes sobre as vacinas para adultos

Para definir vacinas e esquemas de doses na fase adulta, deve-se considerar o histórico vacinal do paciente. Isso porque, para todas as vacinas, existem questões importantes que devem ser observadas, como contraindicações, cuidados antes, durante e depois da vacinação e possíveis efeitos e eventos adversos.

Além disso, existem recomendações específicas para grupos especiais. Portanto, é muito importante buscar acompanhamento e orientação de uma equipe de saúde antes de receber as vacinas para adultos referente à sua faixa etária.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não

    Nos ajude a melhorar nosso conteúdo!
    ×
    Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

    Comentários

    error: © Copyright Unimed-BH 2021