Lactante e dentista: o que pode e o que não pode? 

Parto Adequado

11/02/2021

Tire as principais dúvidas sobre a visita de gestantes e lactantes ao dentista

4 min de leitura

Compartilhar

Lactante e dentista: o que pode e o que não pode? 

A visita de gestantes e lactantes ao dentista é um assunto que gera grande preocupação. Afinal, existe uma série de procedimentos e medicações que são contraindicados neste momento da vida. Contudo é importante lembrar que tanto a saúde geral como a odontologia do bebê podem ser impactadas positiva ou negativamente pelos cuidados da mãe com os dentes.

As mudanças hormonais no corpo da futura mamãe tornam os dentes mais sensíveis à doença periodontal (doença gengival) e a cáries dentárias. Por isso, ela deve fazer o acompanhamento com o profissional de saúde bucal, no intuito de manter uma série de cuidados específicos para garantir a prevenção desses casos.

Após o parto, esse acompanhamento não deve parar. Por meio do histórico da paciente e das medidas destinadas a esse grupo, o dentista conseguirá tratar possíveis doenças e continuar as medidas preventivas de forma eficaz e segura para a lactante e seu bebê.

Lactante pode ir ao dentista?

Mais do que promover a conexão entre mãe e filho, a amamentação apresenta diversos benefícios para o crescimento e a saúde bucal do bebê. Ela contribui para o desenvolvimento da face, auxilia no posicionamento dos dentes e até mesmo na respiração e na fala. São inúmeros benefícios e uma grande responsabilidade.

Devido a tamanha importância, surgem dúvidas quanto às principais orientações médicas, nutricionais e odontológicas (como: “lactante pode ir ao dentista”?) no intuito de promover a melhor alimentação ao bebê.

Para sanar esse questionamento típico, saiba que as consultas de acompanhamento devem ser feitas regularmente com o objetivo preventivo e detectar, de forma precoce, cáries dentárias e demais doenças bucais que precisem de procedimentos.

Lactante com dor de dente e prescrição de medicamentos

As recomendações para gestantes e lactantes no dentista são semelhantes, pois o vínculo com o bebê se mantém, agora, através da amamentação. Existem muitas dúvidas sobre a prescrição de medicamentos para lactante com dor de dente e seus efeitos no aleitamento materno.

Sobre tais dúvidas, cabe salientar que o profissional da saúde bucal deve se atentar a isso antes de indicar analgésicos, antibióticos e anti-inflamatórios para a lactante, e só prescrevê-los em casos extremamente necessários. É essencial, em qualquer caso, orientar a lactante quanto aos riscos envolvidos na prescrição de medicamentos.

Em casos em que o uso de medicações se faça extremamente necessário, elas devem ser administradas de 30 a 60 minutos depois da mamada e, preferencialmente, 3 a 4 horas antes da próxima amamentação.

Anestesia de dentista e amamentação

O uso de anestesia de dentista durante a amamentação é outra questão recorrente entre gestantes e lactantes. Não existe contraindicação quanto ao uso de anestésico odontológico para lactantes, desde que seja orientado pelo médico responsável pelo acompanhamento da mulher antes e após o pré-natal.

Odontologia do bebê: cuidados imprescindíveis

Prevenir, educar e acompanhar. Três palavras que representam passos essenciais para a odontologia do bebê e que devem ser aplicadas aos lactentes desde os primeiros dias de vida. Contar com o apoio dos profissionais de saúde, incluindo odontopediatras, é um caminho garantido para o nascimento e crescimento de dentes saudáveis para os pequenos.

Muito se engana quem pensa que a odontologia do bebê só começa ao apontar o primeiro dente de leite. Os cuidados com a saúde bucal devem começar desde o nascimento, com o bebê recém-nascido, e ir se adaptando a cada fase, de acordo com as necessidades e com o desenvolvimento da criança.

Antes de nascer o primeiro dentinho, a limpeza da língua e da gengiva do bebê já deve ser feita. Para isso, basta utilizar um tecido ou gaze molhada em água filtrada ou soro fisiológico.

A erupção dentária, ou seja, o nascimento dos dentes de leite, começa por volta dos 7 meses de idade. Esse é o momento indicado para agendar uma consulta com o odontopediatra. Dessa forma, ele vai recomendar as primeiras orientações da saúde oral do bebê.

  • O surgimento dos primeiros dentes também é o momento ideal para iniciar a escovação, mas não se esqueça: é necessário escolher uma escova de dentes própria para a anatomia do bebê, usar o mínimo possível de creme dental e evitar produtos com flúor. A escovação deve ser feita, cuidadosamente, pelos pais ou responsáveis pela criança, e o creme dental deve ser mantido fora do alcance dos pequenos.
  • A introdução de alimentos na dieta da criança deve considerar pouco ou nenhum uso de açúcar ou mel para adoçar os alimentos. Esses produtos são grandes vilões para os dentes de leite porque podem aumentar as chances do surgimento de cárie dentária.
  • A amamentação deve ser estimulada durante os primeiros 24 meses de vida. Nos primeiros seis meses, é aconselhado que o leite materno seja o único alimento. O processo de sucção, exercido durante a mamada, é a melhor forma de auxiliar o desenvolvimento da arcada dentária, dos músculos da face, do formato da boca e do encaixe dos dentes do bebê.
  • Chupetas e mamadeiras devem ser usadas de forma racional, e não ao menor sinal de desconforto do bebê. O objetivo desses utensílios é apenas o de complementar o exercício de sucção para o desenvolvimento do bebê; por isso, não devem ser usados em excesso.

A odontologia do bebê e a saúde bucal de gestantes e lactantes estão intimamente ligadas. O cuidado começa com a notícia da gravidez e se estende até o fim da vida. Quanto maior é o acompanhamento, maior é a qualidade de vida da mãe e do bebê.

Por isso, investir na prevenção e na orientação da criança e de toda a família pode gerar resultados positivos não apenas nos dentes de leite, mas também nos permanentes.

 

A amamentação tem papel crucial na saúde bucal do bebê, mas este não é o único ponto de atenção relacionado ao assunto. A Unimed-BH elaborou um conteúdo completo com orientações sobre aleitamento materno, para que você, mamãe, possa consultar sempre que surgir alguma dúvida.

Confira o e-book Aleitamento Materno – Dicas e orientações para mães e cuidados com o bebê e tire todas as dúvidas sobre um aleitamento saudável.
Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×
Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

Comentários

error: © Copyright Unimed-BH 2021