Câncer de colo do útero: prevenção é decisiva para um útero saudável

Prevenção e Controle

06/04/2021

Conheça mais sobre o câncer de colo do útero e saiba como se prevenir e cuidar cada dia melhor da sua saúde

3 min de leitura

Compartilhar

Câncer de colo do útero: prevenção é decisiva para um útero saudável

O câncer de colo do útero é o terceiro tipo mais recorrente na população feminina e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). O instituto também estima que, em 2020, foram 16 mil novos casos da doença, o que acende um alerta preocupante.

Falta de conhecimento, de medidas preventivas e de exames importantes na rotina da mulher são alguns dos fatores que contribuem para que essa doença seja tão frequente. Por isso, é importante se informar sobre as causas e os métodos preventivos contra o surgimento do câncer de útero e de doenças que podem desencadeá-lo.

O câncer de colo do útero

Também conhecido como câncer cervical, o câncer de colo do útero é causado pela evolução de infecções persistentes por alguns tipos do papilomavírus humano (HPV).

O HPV, por sua vez, é uma das infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) mais comuns em todo o mundo; em sua fase inicial, pode não apresentar sintomas ou evoluir com sintomas leves. Isso faz com que muitas pacientes não procurem atendimento no início da doença, o que retarda o tratamento adequado, levando a uma possível evolução para o CA de colo de útero.

Quais os sintomas do câncer de colo do útero?

Por se tratar de uma doença com desenvolvimento lento – que pode durar até anos –, o câncer de útero não costuma apresentar sintomas na fase inicial.

Ainda assim, com relação a quais os sintomas do câncer de colo do útero podem ser manifestados, alguns podem representar um sinal de alerta de evolução da doença:

  • sangramento vaginal intermitente (que vai e volta);
  • secreção vaginal anormal após relação sexual;
  • dor abdominal associada a queixas urinárias e intestinais;
  • verrugas genitais.

Fatores de risco 

Conhecer os fatores de risco do câncer de colo do útero é uma forma de atuar de modo preventivo para evitar o HPV. O início precoce da vida sexual e relações sexuais com múltiplos parceiros são os dois principais.

Além disso, este tipo de câncer também tem como fator de risco o tabagismo e o uso prolongado de pílulas anticoncepcionais.

Detecção precoce e rastreamento: a importância

A melhor estratégia é o método de detecção precoce e rastreamento do câncer de colo do útero. Isso porque encontrar o tumor em sua fase inicial possibilita maior chance de tratamento, que é muito mais simples do que se pode imaginar.

Exame preventivo Papanicolau

O rastreamento do CA de colo do útero é feito por meio do exame preventivo Papanicolau, um exame citopatológico simples, indolor e muito eficaz para detectar a doença desde os estágios iniciais.

A investigação do câncer cervical deve ser realizada em mulheres na faixa de 25 a 64 anos de idade que têm ou já tiveram relações sexuais. É recomendada a repetição do exame preventivo Papanicolau anualmente, duas vezes seguidas. Em caso de normalidade em ambos, ele poderá ser feito a cada de três anos.

As visitas ao ginecologista são muito importantes e devem ser regulares. Além de ficar em dia com os exames preventivos, a paciente receberá orientações sobre anticoncepção, vacinas e prevenção contra as ISTs.

Diagnóstico do câncer de colo do útero

Na presença de alterações que possam indicar a presença do tumor, outros exames podem ser solicitados para confirmar o diagnóstico de câncer de colo do útero:

  • exame pélvico e histórico clínico;
  • colposcopia;
  • biópsia – para analisar células anormais detectadas no Papanicolau.

Tratamento do câncer de colo do útero

Felizmente, apesar de ser uma doença recorrente, o tratamento do câncer de colo do útero tem eficácia e bons resultados.

Entre os métodos comumente utilizados para tratamento estão a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia; vai depender do estágio em que se encontra o câncer de útero. Lesões precursoras podem ser tratadas de forma ambulatorial, por meio de eletro cirurgia.

Fatores como tamanho do tumor, idade da paciente e desejo de ter filhos também podem interferir na escolha do método de tratamento do câncer cervical, e essa escolha deverá ser feita por um médico de confiança.

Colo do útero saudável: dicas de prevenção ao câncer

A primeira forma de manter um colo do útero saudável está relacionada à diminuição do risco de contágio pelo HPV. A transmissão ocorre por via sexual; por isso o uso de preservativos (camisinha masculina ou feminina) durante a relação sexual com penetração é importante, pois protege, mesmo que parcialmente, do contágio pelo HPV.

A transmissão também pode ocorrer pelo contato com a pele da vulva, com as regiões perineal e perianal e com a bolsa escrotal. Portanto, a vacinação e a realização do exame Papanicolau são medidas eficazes e complementares para a prevenção contra o HPV e, consequentemente, contra o CA de colo do útero.

Vacina contra o HPV

A vacinação não exclui a necessidade de realização do exame nas faixas etárias indicadas – dos 25 anos de idade em diante.

Originalmente, a vacina contra o HPV deve ser aplicada em duas doses, sendo a primeira aos 9 anos de idade e a segunda até os 14 – de acordo com o calendário vacinal decretado pelo Ministério da Saúde.

Após essa faixa etária, é recomendado conversar com o ginecologista e se informar sobre como preservar o colo do útero saudável e também como se prevenir contra o câncer de colo do útero.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.

Comentários