Dengue: a prevenção não pode parar, cuide-se o ano todo

Qualidade de Vida

05/07/2021

A pandemia continua e a dengue também. Veja quais os cuidados necessários para evitar a infecção pelo mosquito Aedes aegypti e conheça os principais sintomas da doença.

5 min de leitura

Compartilhar

Dengue: a prevenção não pode parar, cuide-se o ano todo

Se engana quem pensa que ela é uma doença sazonal, aparecendo apenas no calor: a dengue continua e é perigosa o ano inteiro! Conforme o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde, Minas Gerais registrou 10.202 casos de dengue até o dia 15 de junho deste ano. Belo Horizonte já tem 1.297 casos prováveis da doença.

Os dados mostram que o mosquito-da-dengue não tira folga, nem durante a pandemia. Por isso, é necessário manter os cuidados para evitar a transmissão da doença. Saiba como se prevenir e o que fazer caso seja infectado.

O que é dengue e como ela é transmitida?

A dengue é uma doença infecciosa, que pode se desenvolver a partir de quatro tipos de vírus: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4. Ela é transmitida pela picada de um mosquito infectado.

Indivíduos residentes em áreas endêmicas podem ser infectados pelos quatro tipos de vírus durante toda a vida. Ao contrair um deles, o indivíduo desenvolve imunidade ao sorotipo que contraiu e imunidade parcial ou temporária contra os outros tipos. Então, é hora de ficar atento.

Quais são os principais sintomas da dengue?

Os sintomas da dengue são parecidos com os de outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, mas podem variar na intensidade e o paciente pode chegar a não apresentar todos eles:

  • Dores nos olhos
  • Dores de cabeça
  • Dores no corpo e nas articulações
  • Manchas na pele
  • Febre

Mosquito-da-dengue: fique atento em todas as estações!

Os períodos quentes, são mais propícios à proliferação da doença por causa das chuvas e, consequentemente, é a época de maior risco de infecção. No entanto, o frio não elimina o mosquito.

Portanto, ainda que os cuidados com a pandemia sejam uma prioridade, não podemos nos descuidar da dengue, já que seu transmissor continua à solta.

Sendo assim, é necessário sim manter os cuidados com a Covid-19, mas lembrando sempre de incluir na nossa rotina hábitos que previnem a proliferação da dengue.

Como identificar o Aedes aegypti?

O mosquito-da-dengue é preto com riscos brancos e um pouco menor que os outros mosquitos. Ele se reproduz em água parada, seja limpa ou poluída. Além disso, o Aedes aegypti pode picar e contaminar mais de uma pessoa com o vírus da dengue.

Mitos e verdades sobre a dengue

Por mais que a dengue seja um assunto recorrente na vida das pessoas – especialmente nas épocas quentes e de muita chuva – ainda existem muitas confusões a respeito do que é mito ou verdade sobre essa doença.

A seguir, conheça alguns dos principais boatos a respeito do assunto e aprenda a se proteger da dengue e da desinformação.

É verdade que quem já teve dengue está imune à doença?

Não. São quatro os sorotipos do vírus da dengue: a pessoa que contrai a doença fica imunizada para aquele tipo, mas não para os outros. Mesmo após a cura, é preciso tomar cuidados para evitar uma nova infecção.

O mosquito pode atingir lugares mais altos – como prédios?

Sim. O mosquito atinge lugares mais altos e há casos registrados do mosquito em prédios. Fique atento à proliferação nesses lugares – até os elevadores podem ajudar a carregar o Aedes aegypti a andares mais altos.

Água sanitária mata as larvas do mosquito?

Verdade. Misturar água sanitária à água impede o nascimento dos mosquitos, mas, ainda assim, o melhor jeito de prevenir é evitar que ela fique parada.

Secar os reservatórios de água parada elimina os ovos do Aedes aegypti?

Mito. O ovo do mosquito pode durar até 400 dias sem água. Por isso, além de secar, você precisa limpar o local para impedir sua reprodução.

Ingerir vitamina B afasta o mosquito Aedes aegypti?

Mito. É verdade que o mosquito é atraído pela respiração da pessoa, mas, ingerir vitamina B (alho ou cebola) para que o cheiro eliminado pela pele afaste o mosquito não é eficaz. O odor pode durar pouco ou não ter efeito nenhum, dependendo de cada metabolismo.

Pode-se curar a dengue com medicamentos?

Nenhum medicamento cura a dengue. Não existe antiviral para isso. Os remédios – como analgésicos e antitérmicos – e a hidratação oral ajudam a tratar apenas os sintomas. O uso do soro na veia é reservado para casos mais graves.

Estou com dengue: o que devo fazer?

Caso você tenha sido infectado pelo mosquito-da-dengue, mantenha-se hidratado regularmente com sais de hidratação oral, sucos e água. Além disso, faça repouso e procure o seu médico de referência, ou o Centro de Promoção da Saúde (CPS) mais próximo da sua casa para ser avaliado por um médico.

Se os seus sintomas forem leves, você também pode contar com a consulta online Unimed-BH e ser atendido por um médico sem sair de casa.

Em caso de suspeita da doença, beba muita água, fique de repouso e evite medicamentos que tenham anti-inflamatórios (ibuprofeno, nimesulida, diclofenaco e outros) e aspirina (ácido acetilsalicílico, AAS).

O que não devo fazer?

Neste período, você não deve consumir álcool e nem fazer atividades intensas que possam aumentar a desidratação, piorando as dores no corpo e as articulares. Não suspenda a sua medicação por conta própria e nem se automedique: vários medicamentos podem aumentar o risco de sangramento.

Sinais de alerta

Em alguns casos de dengue, o indivíduo pode desenvolver sinais de alerta:

  • Dor abdominal intensa e contínua.
  • Sangramento no nariz, boca ou outros sangramentos.
  • Tontura ao mudar de posição.
  • Diminuição do volume da urina.
  • Vômitos frequentes ou com sangue.
  • Agitação ou muita sonolência.
  • Suor frio.

Caso apresente algum desses sintomas, retorne imediatamente ao seu médico ou ao Pronto-Atendimento.

Quais as chances de evoluir para dengue hemorrágica?

A dengue hemorrágica costuma ser mais comum em quem já teve a forma clássica da doença. Mas isso não impede que pessoas infectadas pela primeira vez possam contrair o tipo mais grave.

Além disso, casos comuns, sem acompanhamento, também podem ter complicações e evoluir para a dengue hemorrágica.

Prevenção da dengue o ano todo

A dengue não para. Seus cuidados também não podem parar. Saiba como prevenir a dengue:

  • Guarde as garrafas PET e de vidro viradas para baixo e lave diariamente o prato de ração e a vasilha de água dos seus bichinhos.
  • Descarte o lixo, eliminando tudo o que pode acumular água. Use repelentes e inseticidas autorizados pela Anvisa.
  • Retire a água dos pneus e abrigue-os da chuva.
  • Feche completamente as caixas d’água, as cisternas e os poços e realize a manutenção das piscinas utilizando produtos químicos apropriados.
  • Lembre-se de retirar os pratinhos dos vasos de plantas ou encha-os com areia.

Opções de atendimento da Unimed-BH

Se você é cliente Unimed-BH e está com suspeita de dengue, veja as opções para ser atendido de forma mais ágil:

  • Procure seu médico: se você está com sintomas de dengue, não deixe de procurar o seu médico de referência.
  • Agendamento online: acesse o site da Unimed-BH ou baixe o app Unimed-BH e agende uma consulta com hora marcada sem precisar esperar para ser atendido.
  • Centros de Promoção da Saúde Unimed-BH: são 5 unidades com horário estendido e uma equipe preparada para atender e orientar você. Clique aqui para consultar os endereços e procure a unidade mais próxima.

Aprenda mais sobre a dengue e outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Acesse a página da Unimed-BH sobre Arboviroses e saiba tudo sobre o assunto.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×
Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

Comentários

error: © Copyright Unimed-BH 2021