Antibióticos: confira a importância do uso consciente

Prevenção e Controle

06/09/2021

Muitas pessoas estão usando os antibióticos de forma errada e indiscriminada, o que faz com que esses medicamentos não consigam mais combater certas bactérias. Confira e saiba quais são os cuidados durante o uso.

4 min de leitura

Compartilhar

Antibióticos: confira a importância do uso consciente

Se você já foi acometido por uma infecção bacteriana, certamente fez uso de antibióticos para tratá-la. Esse tipo de medicação é uma das formas de tratamento mais eficazes contra doenças causadas por bactérias, afinal, atuam inibindo o crescimento bacteriano ou causando a morte destes microrganismos, impedindo sua multiplicação e progressão da doença.

Da mesma forma que os antibióticos são tão importantes para tratar algumas doenças, o prejuízo causado pelo seu uso indiscriminado também pode ser grande.

Assim como qualquer medicação, os antibióticos devem ser usados a partir da indicação médica ou do cirurgião dentista. Além de existirem uma série de cuidados que devem ser tomados para que ele, de fato, cumpra o seu papel no organismo. Continue lendo o conteúdo a seguir e saiba quais são eles.

Antibiótico: o que é, e para que serve?

Os antibióticos são substâncias utilizadas no tratamento de infecções bacterianas. Estes medicamentos possuem a capacidade de impedir a multiplicação das bactérias ou de as destruir, permitindo assim tratar os quadros causados por esses invasores.

O uso de antibiótico é apenas indicado em infecções diagnosticadas pelo médico, como sendo causadas por bactérias, pois não têm qualquer efeito contra os vírus, sendo por isso inúteis para tratar doenças como a gripe, causada pela infecção viral.

Existem diversos tipos de antibióticos, e cada um deles só atua sobre um certo tipo de bactérias, deixando outras intactas.

Por esse motivo, o uso dessas medicações deve ser feito por meio de prescrição médica ou do cirurgião dentista, onde o especialista indicará todos os detalhes a respeito da utilização — frequência diária, tempo de utilização, dosagem etc.

Uso indiscriminado de antibióticos: riscos para a saúde

Se, por um lado, essas medicações representam uma forma eficaz de tratamento, por outro, o uso de antibióticos sem recomendação, pode acarretar diversos riscos para a saúde.

Quando falamos nesse assunto, entretanto, não nos referimos apenas à automedicação, e, sim, a qualquer comportamento que esteja fora da orientação prescrita na receita. Alguns exemplos dessa prática são:

  • A interrupção do tratamento antes do tempo previsto, devido à melhora dos sintomas;
  • A ingestão da medicação em doses incorretas;
  • O uso desnecessário de antibióticos para tratar doenças que não são causadas por bactérias, com as doenças virais.

Tudo isso pode levar, a longo prazo, a consequências na relação do seu organismo com os antibióticos e uma delas é a resistência bacteriana.

Resistência bacteriana: o que é?

A resistência bacteriana se refere à capacidade da bactéria de suportar a ação de alguns antibióticos, devido ao desenvolvimento de mecanismos de adaptação e de resistência, o que é muitas vezes consequência do uso indevido de antimicrobianos.

Ou seja, quando a pessoa faz o uso de antibiótico sem orientação médica, ou interrompe o tratamento antes do tempo previsto, por exemplo.

Quando uma bactéria adquire resistência a determinado antibiótico, ela torna-se capaz de proliferar independente da presença do remédio. Além de ter a capacidade de causar infecções mais graves e de difícil tratamento.

Recomendações para o uso adequado de antibióticos

Para que os antibióticos tratem de forma adequada as infecções bacterianas, algumas recomendações com relação ao seu uso devem ser seguidas:

  • Em hipótese alguma opte pela automedicação. O uso de antibióticos deve ser feito com base na análise de sinais e sintomas por um profissional de saúde.
  • Siga rigorosamente a prescrição médica.
  • Não interrompa o tratamento após melhora dos sintomas, nem prolongue o uso da medicação sem orientação médica.
  • Tome o antibiótico sempre no horário informado pelo médico.
  • Não use antibióticos por conta própria, nem por indicações de balconistas de farmácia, vizinhos, amigos ou parentes.
  • Atente-se à dosagem e ao prazo da validade da medicação.
  • Guarde os medicamentos em locais seguros, arejados e fora do alcance de crianças.

Sobre o público infantil, outras substâncias também precisam de armazenamento seguro. Aprenda mais aqui → Intoxicação exógena: o que é, como prevenir e proteger as crianças.

Dúvidas sobre uso dos antibióticos

Algumas dúvidas são comuns com relação ao uso dos antibióticos. Confira as mais frequentes:

Posso “beber” tomando antibiótico?

Seu médico sempre irá passar a orientação precisa se o medicamento prescrito perde a eficácia, ou não, com a ingestão de bebidas alcoólicas. A maioria dos remédios contra infecções não sofrem interações com o álcool e no momento da consulta você pode tirar as dúvidas com o seu médico.

Contudo, quantidades acima de 50 gramas diárias de álcool, o que equivalente a três latas de cerveja ou uma dose de uísque, por exemplo, já causam queda na imunidade, o que dificulta o tratamento.

Este é um motivo pelos quais os médicos desencorajam a ingestão de bebida alcoólica durante o tratamento com antibiótico.

O antibiótico corta o efeito do anticoncepcional?

Essa constatação não é uma verdade absoluta na medicina, que ainda pesquisa o porquê de alguns antibióticos reduzirem a atuação de determinados anticoncepcionais.

O que se sabe é que, durante o uso de antibióticos, que matam bactérias perigosas, outras bactérias que atuam na flora intestinal podem ser afetadas.

Como elas também são responsáveis pela reativação do estrogênio, essa equação da fertilidade é uma hipótese, mas não uma constatação definitiva. Na dúvida, é melhor usar preservativo.

O perigo da caixinha de remédios: você tem uma?

É comum encontrar na casa dos brasileiros a famosa caixinha de remédios. Mesmo se tratando de uma funcionalidade importante para emergências, é preciso estar atento às medicações disponíveis, sua validade e condições de armazenamento.

Isso pode ser um perigo porque, em termos gerais, a automedicação é prejudicial para a saúde. Isso inclui também não guardar antibióticos sobressalentes de outros tratamentos para uso posterior, junto aos itens de primeiros socorros.

Outros tipos de medicação também devem ser usados com cuidado e orientação profissional, para evitar a intoxicação medicamentosa. Não sabe o que é isso? Confira o conteúdo exclusivo da Unimed-BH sobre o assunto:

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
[rate-form] ×
Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

Comentários

error: © Copyright Unimed-BH 2021