Intoxicação exógena: o que é, como prevenir e proteger as crianças?

Maternidade

28/04/2021

Aprenda algumas medidas rotineiras para que a sua criança não esteja exposta aos riscos da intoxicação exógena.

4 min de leitura

Compartilhar

Intoxicação exógena: o que é, como prevenir e proteger as crianças?

A maior vulnerabilidade à intoxicação exógena acontece na infância, pois as crianças têm mais propensão de manusear objetos perigosos e colocá-los na boca.

Quando não supervisionados pelos pais, os pequenos podem estar em grande risco de envenenamento e intoxicação não intencional. As mais afetadas são as crianças de um a quatro anos, pois esse é o período em que se passa mais tempo dentro de casa.

Nessa fase, elas são expostas a diversos produtos tóxicos, como produtos de limpeza, por exemplo, quando não armazenados corretamente. Continue lendo para entender a importância de guardá-los em local adequado.

O que é intoxicação exógena?

Neste momento, você pode estar se perguntando: mas, afinal, o que é intoxicação exógena?

A intoxicação exógena é um conjunto de efeitos nocivos representados por sinais e sintomas causados pela interação de um ou mais agentes tóxicos com o organismo. Tanto adultos como crianças podem ser envenenados por produtos domésticos comuns.

Além dos de limpeza, veja outros perigosos, sobretudo ao público infantil:

🔴 cosméticos;

🔴 bebidas alcoólicas;

🔴 plantas;

🔴 animais peçonhentos ou venenosos;

🔴 corpos estranhos e brinquedos;

🔴 pesticidas;

🔴 produtos de arte;

🔴 tintas;

🔴 álcool;

🔴 medicamentos e vitaminas.

Com relação ao público infantil, o maior risco se dá porque, quando exposta ao veneno, a criança pode sofrer graves consequências.

Intoxicação exógena em crianças: quatro dicas para prevenir

Para evitar casos de intoxicação exógena em crianças, é preciso sempre se prevenir. Pais e cuidadores devem se conscientizar do risco para proporcionar aos filhos um ambiente seguro e saudável, zelando pela integridade deles. Para isso, indicamos algumas medidas que podem ser adotadas naturalmente no cotidiano familiar:

Mantenha fora do alcance das crianças

Devem ser guardados fora do alcance das crianças ou trancados em armários todos os produtos potencialmente tóxicos, como os de limpeza e higiene, medicamentos e pesticidas.

Além disso, é importante não colocar produtos de uso doméstico junto de alimentos. Também é preciso prestar atenção ao local onde armazena os produtos tóxicos e manter supervisão constante sobre eles.

Avalie também os tipos de planta que você tem. Seja em casa, seja em apartamento, seja em arredores, saiba se essas plantas são venenosas, remova-as ou deixe-as inacessíveis para as crianças.

Algumas plantas ornamentais, com espinhos ou grande quantidade de látex, também devem ser isoladas das áreas de circulação dos pequenos.

Observe a segurança das embalagens

Dê preferência para produtos cujas embalagens tenham tampas de segurança e sempre mantenha os produtos em seus recipientes originais. Nunca os coloque em garrafas de refrigerante, potes de margarina e geleia, por exemplo, e em outros recipientes de alimentos para não confundir as crianças.

Outro cuidado a ser tomado tem relação com os remédios: não se refira a eles como “doces”. Isso pode levar a criança a pensar que o medicamento não é perigoso ou que é agradável de comer ou tomar.

Falando neles, é importante também prestar bastante atenção à data de vencimento dos medicamentos e ler as instruções da bula atentamente.

Evite elementos tóxicos e misturas perigosas

Desde que seu filho(a) chegou da maternidade, provavelmente você se preocupou em organizar um quartinho confortável, acolhedor e seguro. Isso inclui também as tintas utilizadas no berço e nas paredes. Elas podem conter elementos tóxicos, como chumbo e monóxido de carbono, por exemplo, que fazem mal à saúde.

Portanto preste atenção à composição e ao odor das tintas usadas em seu lar. Além desses cuidados, não misturar produtos químicos ou de limpeza é fundamental. Isso porque algumas misturas podem se tornar ainda mais nocivas e tóxicas do que as substâncias separadas.

Vigie também as áreas externas

Mas não é só dentro de casa que se previne a intoxicação exógena em crianças. No quintal, na área de convivência de condomínios, em parquinhos ou playgrounds, é importante manter a vigilância.

Cuide ainda para que sua criança não ande descalça em locais que apresentem risco de animais peçonhentos (aranhas, cobras, escorpiões etc.), que ali ficam “escondidos”.

Oriente os pequenos a usarem preferencialmente botas nesses locais. Também em áreas externas, ensine-a a não colocar as mãos em telhas, buracos, tijolos e folhagens e a manter a máxima atenção ao calçar sapatos ou usar bolsas e sacolas para evitar surpresas negativas de encontrar alguns desses animais neles escondidos.

A classificação dos produtos químicos

A classificação dos produtos químicos é feita conforme a identificação dos riscos que oferecem. Essa identificação é extremamente importante, pois ela transmite essas informações ao consumidor e evita os riscos de intoxicação exógena.

Saber reconhecer o rótulo de um produto químico está relacionado com a diminuição de acidentes à saúde humana e ao meio ambiente. Além disso, permite que o manuseio e o armazenamento dessas substâncias sejam mais seguros e conscientes.

Seguem alguns rótulos abaixo:

classificacao-dos-produtos-quimicos

Meu filho está com suspeita de intoxicação exógena: o que fazer?

Caso a criança esteja com convulsão, desmaiada ou sem respirar, você deve ligar imediatamente para o 192 ou para os Centros de Informação e Assistência Toxicológica (Ciats), que são unidades que orientam a população a respeito das atitudes a serem tomadas em casos de intoxicação exógena em crianças. O número é 0800 722 6001.

É importante ficar ligado às seguintes recomendações:

  • Tente reconhecer qual item causou o acidente e qual foi a quantidade ingerida.
  • Leve a criança ao hospital mais próximo. Leve junto a embalagem, o rótulo e a bula do item que pode ter causado o acidente para que os profissionais de saúde possam fazer o atendimento mais adequado.
  • Não ofereça líquidos ou produtos como antídotos sem a recomendação de um profissional capacitado.
  • Não provoque vômitos ou náuseas sem a orientação de um profissional, especialmente se a criança tiver ingerido ácidos, desinfetantes ou gasolina.
  • Em caso de contato com pele ou olhos, lave o local com água em abundância.
  • Remova roupas impregnadas com o item suspeito.

Para evitar os riscos de intoxicação exógena em crianças, os pais precisam supervisioná-las – e é possível fazer isso sem frear a liberdade dos pequenos.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.

Comentários