Apendicite: o que é e quando buscar ajuda para a inflamação aguda?

Prevenção e Controle

15/03/2022

O diagnóstico deve ser feito de forma rápida para evitar complicações; conheça os sintomas da inflamação do apêndice.

3 min de leitura

Apendicite: o que é e quando buscar ajuda para a inflamação aguda?

A apendicite é a principal causa das cirurgias abdominais de urgência e é mais frequente entre os 10 e 30 anos.

Como essa inflamação apresenta sintomas que podem ser confundidos com outras doenças, isso pode contribuir para a demora do diagnóstico. Nos casos mais graves, o problema pode ser letal.

Por isso, é importante conhecer os sintomas de apendicite, o que causa a doença e, ainda, saber a hora certa de procurar um médico.

O que é apendicite?

Trata-se de uma inflamação do apêndice causada por sua obstrução. Em caso de uma apendicite aguda, pode ocorrer uma proliferação de bactérias ou até mesmo a perfuração do órgão, situação chamada de apendicite supurada.

Essa condição pode evoluir para sepse, uma infecção generalizada que pode colocar em risco a vida da pessoa.

Para que serve o apêndice?

Ele é um órgão localizado no início do intestino grosso, em uma estrutura chamada ceco. É semelhante ao dedo de uma luva, integra o sistema digestivo e, normalmente, mede cerca de 5 a 10 centímetros.

Apendicite

Há quem diga que o apêndice só “serve para inflamar”. De fato, a função real deste órgão ainda é fonte de estudos, mas há evidências de que ele atua na produção de células de defesa do organismo.

Sintomas de apendicite: entenda os perigos

A dor de apendicite é o indicativo mais relevante. É uma dor aguda na região abdominal que aparece de forma abrupta, sem causa aparente. Mas este sinal pode ser confundido com outros problemas de saúde, como viroses, intolerância à lactose e infecções bacterianas.

Em alguns casos, a apendicite também pode desencadear alguns dos seguintes sintomas:

  • Febre baixa (até 38°);
  • Falta de apetite;
  • Náuseas e vômito;
  • Diarreia ou constipação intestinal;
  • Barriga distendida.

No entanto, é importante ter em mente que nenhum desses sinais é específico do quadro de apendicite, podendo ser indicativo de outras doenças.

Ao mesmo passo, a ausência desses sintomas não exclui a possibilidade do diagnóstico. Por isso, ao menor sintoma de apendicite, é importante procurar o médico para obter o diagnóstico correto e evitar o agravamento do problema.

Dor de apendicite: onde se localiza?

Mais comumente, ela aparece de repente. Uma dor que, geralmente, começa na região do umbigo e irradia para a parte direita inferior do abdômen. Pode começar de forma mais suave e se intensificar com o passar do tempo, causando grande desconforto.

A dor oriunda da inflamação do apêndice pode ser bem localizada, semelhante a uma cólica, ou difusa, acometendo toda a região abdominal.

Como obter o diagnóstico: qual médico procurar?

Na suspeita de apendicite, a recomendação é procurar o Pronto Atendimento. Isso porque, por se tratar de um quadro que causa dor aguda, não é possível aguardar uma consulta agendada.

Mas qual exame detecta apendicite? Para confirmar o diagnóstico, o médico também pode solicitar um ultrassom ou tomografia abdominal.

Eles também são úteis para ajudar a identificar ou descartar outros problemas de saúde, caso a suspeita de apendicite não seja confirmada.

Tratamento, causas e dicas para evitar a inflamação no apêndice

A apendicite aguda pode evoluir rapidamente se não for tratada e ocasionar complicações. Por isso, é preciso estar atento aos sintomas.

O que causa apendicite, afinal?

Os fatores que causam a inflamação podem ser vários, desde fezes endurecidas – a causa mais comum -, até:

  • alimentos não digeridos;
  • pólipos e cálculos biliares;
  • bactérias intestinais;
  • Além de fungos, parasitas e adenovírus.

Ou seja, tudo o que pode contribuir para a obstrução do apêndice, inclusive uma torção no órgão, é capaz de acarretar a inflamação.

Cirurgia de apendicite: como viver sem o apêndice?

O tratamento deve ser indicado pelo médico, mas na maioria dos casos, envolve a remoção do órgão por meio de cirurgia, a apendicectomia.

Para isso, há a opção de se realizar uma laparotomia (incisão no abdômen) ou uma videolaparoscopia (com o uso de câmeras). Este método é menos invasivo, resultando em um corte menor.

É possível prevenir a apendicite?

Não existem formas de prevenir a apendicite. O que pode ser feito é adotar hábitos saudáveis e uma dieta equilibrada para ajudar a reduzir os riscos de desenvolver o quadro, bem como diversos outros tipos de problemas gastrointestinais. Veja algumas dicas:

  • Atividades físicas regulares;
  • Alimentação balanceada;
  • Higienização correta dos alimentos.

Manter o controle da saúde, realizando consultas médicas com a frequência recomendada, bem como todos os exames preventivos solicitados pelo médico, também ajuda a identificar doenças o quanto antes, possibilitando mais chances de sucesso no tratamento.

Quer se informar mais sobre a saúde do sistema digestivo? Conheça outros problemas gastrointestinais e saiba como identificá-los, preveni-los e tratá-los corretamente! Recomendamos os seguintes conteúdos:

Equipe de Atenção à Saúde Unimed-BH
Conteúdo validado por Equipe de Atenção à Saúde Unimed-BH

Equipe responsável por prover conteúdos em soluções assistenciais para clientes, profissionais e prestadores da Unimed-BH, assim como para a sociedade como um todo.

Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×

Comentários