Como cuidar da saúde mental?

Prevenção e Controle

06/04/2021

Ações preventivas e hábitos para cuidar da saúde mental ajudam a controlar e prevenir distúrbios psíquicos que aumentaram com a pandemia

6 min de leitura

Compartilhar

Como cuidar da saúde mental?

Corpo e mente são um só. Saber como cuidar da saúde mental é tão importante para o bem-estar quanto ir ao dentista ou correr na esteira. Inclusive muitos dos cuidados que temos com o corpo também ajudam a mente, enquanto outros focam mais o aspecto psicológico.

O objetivo deste artigo é abordar resumidamente a importância da saúde mental e falar sobre os principais cuidados que podem ser tomados para fortalecer a estrutura psíquica. Boa leitura!

Como cuidar da saúde mental?

Saber como cuidar da saúde mental não é muito diferente de zelar pelo organismo e pela saúde física. É importante trabalhar com três pilares fundamentais: prevenção, percepção e cura, normalmente nessa ordem de prioridade.

A prevenção de transtornos psíquicos envolve desde uma boa alimentação até o acompanhamento com um psicoterapeuta. A percepção engloba tanto o autoconhecimento, que permite perceber que algo está errado, quanto consultas com especialistas, que podem diagnosticar distúrbios psíquicos.

Por fim, o tratamento envolve manter-se em alerta quando já existem transtornos diagnosticados, além de investir em uma combinação de psicoterapia, medicamentos e, em alguns casos, procedimentos como a eletroconvulsoterapia (ECT).

O que significa saúde mental?

Para entender o que significa saúde mental, é importante saber antes o que é homeostase. O termo foi cunhado pelo fisiologista norte-americano Walter Canon em 1929, inspirado pelo trabalho do pesquisador, médico e fisiologista francês Claude Bernard.

A homeostase é a capacidade de o corpo manter o seu funcionamento pleno, ainda que em interação com fatores externos capazes de afetar esse equilíbrio. Órgãos e glândulas trabalham o tempo todo para contrabalancear ameaças externas e garantir a homeostase, ou seja, a saúde do corpo.

No específico conceito de saúde mental, existem quatro hormônios essenciais, que estão relacionados ao equilíbrio emocional e à eficácia das funções psíquicas: dopamina, serotonina, endorfina e ocitocina.

Boa parte dos problemas psiquiátricos tem origem em distúrbios físicos que prejudicam a secreção e a recaptação de um ou mais desses quatro neurotransmissores. Muitas vezes, essas alterações fisiológicas não causam impactos perceptíveis no bem-estar da pessoa.

Mas, quando ela é confrontada por eventos traumáticos, pressões persistentes e outros tipos de ameaça externa, pode estar mais vulnerável e, com isso, ter sua homeostase comprometida.

Uma pessoa mais preparada para lidar com fatores externos também não está imune ao risco de sofrer com transtornos psíquicos.

Um corpo muito forte pode ser capaz de aguentar melhor um soco do que um corpo mais fraco, mas os dois estão igualmente vulneráveis ao impacto de um carro em uma rodovia. Por isso, é muito importante o foco na prevenção e nos cuidados com a saúde mental, além de não negligenciar a cura.

Saúde mental na pandemia

Desde o fim de 2019 e especialmente após o começo de 2020, a pandemia do novo coronavírus forçou o distanciamento social, o cancelamento de eventos e provocou algumas mudanças na forma de viver em todo o mundo.

Sem dúvida alguma, essa nova ameaça à humanidade também impacta diretamente a saúde mental em todo o mundo. São muitos os fatores externos que pressionam a homeostase psíquica de cada pessoa.

Desde então, a procura por “como ter saúde mental na pandemia” cresceu significativamente. Mudanças bruscas no estilo de vida são capazes de afetar nossa saúde com intensidade amplificada, especialmente quando temos a sensação de perda de controle na rotina.

Além disso, caso o indivíduo ou pessoas próximas de sua convivência percebam alterações comportamentais significativas, como falta de motivação fora do comum ou até mesmo euforia extrema, pode ser interessante buscar a ajuda de especialistas para avaliação e tratamento de distúrbios psiquiátricos, que se tornaram mais comuns nesta época.

Aprenda mais sobre o tema neste conteúdo completo → Saúde mental na Pandemia: como gerenciar mente e emoções?

Saúde mental – Dicas

Cuidar da saúde mental regularmente fortalece a resistência psíquica e minimiza impactos externos. Ademais, quem pratica atividades para cuidar da saúde mental também expande o autoconhecimento e se torna capaz de perceber, com mais facilidade, qualquer interferência no equilíbrio mental.

Por isso, selecionamos algumas dicas para cuidar da saúde mental. Confira!

Crie uma rotina saudável

Rotina não precisa ser sinônimo de tédio ou repetição. Na verdade, quem tem uma rotina saudável e bem-estruturada vive com mais tranquilidade, sem o peso de ter de tomar decisões o tempo todo sobre o que fazer. Esse conforto emocional reduz o estresse e aumenta a sensação de controle da pessoa sobre a própria vida.

Dê uma atenção especial ao sono, pois dormir bem é vital para a saúde da mente e do corpo. Muitos transtornos psicológicos estão associados ao sono irregular. Regule seu relógio biológico e durma melhor.

Atividade física e saúde mental

Atividade física e saúde mental andam juntas. Colocar o corpo para trabalhar estimula a secreção de endorfina e serotonina, o que traz alívio imediato para o estresse e pode ajudar no controle e no tratamento de outros transtornos mentais.

Em longo prazo, a sensação de prazer ativada pela atividade física ajuda a reduzir processos inflamatórios associados à depressão, aprimora a energia e aumenta a autoconfiança. Ciente disso, a Unimed-BH dispõe de uma iniciativa gratuita imperdível para te ajudar a deixar o sedentarismo de lado e melhorar seu físico e emoções.

O Circuito Mude1Hábito é um projeto ministrado por profissionais especializados em exercícios físicos que te auxiliam, grátis, a se movimentar adequadamente. Possui modalidades para diversas idades, a injeção de ânimo que faltava para equilibrar corpo e mente em qualquer fase da vida, participe:

Clique aqui, cadastre-se no Circuito Mude1Hábito e ganhe +200 pontos, não perca!

Alimentação e saúde mental

Assim como o exercício físico, alimentação e saúde mental também estão diretamente relacionadas. As recomendações aqui são as mesmas de quem busca uma alimentação saudável para a mente e o corpo: reduzir o consumo de alimentos excessivamente gordurosos e ultraprocessados e de açúcares, que estão associados ao agravamento de quadros de depressão, ansiedade e outros transtornos.

Refeições saudáveis, com carnes magras, grãos integrais, frutas e vegetais, ajudam na homeostase do corpo e da mente; alguns suplementos, como óleo de peixe, podem inclusive potencializar tratamentos antidepressivos.

Relações saudáveis

Por fim, invista em relacionamentos saudáveis. Reforce laços com amigos e permita-se vulnerabilizar-se emocionalmente com pessoas próximas confiáveis. Afaste-se de relacionamentos abusivos – relacionamentos em que uma pessoa limita a outra e a prende, em vez de empoderá-la e alegrá-la.

Claro, conflitos acontecem em qualquer relação. Mas, quando existe mais briga que cura, se possível, é melhor se afastar, tirar o foco dessas situações e concentrar-se em construir e manter relações saudáveis, fundamentais para a saúde mental.

Estratégia A.C.A.L.M.E-S.E

 

Mesmo seguindo orientações e cuidando da saúde mental, todos passamos por situações que podem desencadear crises e episódios intensos de ansiedade ou pânico. Conhecer os principais sintomas e saber identificá-los é muito importante para tomar as medidas corretas. Alguns dos sinais característicos de crises de ansiedade, são:

  • Batimento cardíaco acelerado
  • Sensação de falta de ar
  • Aumento da transpiração
  • Tremores
  • Boca seca
  • Mãos e pés frios
  • Musculatura contraída e náuseas

Existem algumas técnicas que auxiliam a controlar e, até mesmo, a reverter esses quadros. Entre elas, a estratégia A.C.A.L.M.E-S.E., criada pelo psicólogo e pesquisador Bernard Rangé, pode ser uma opção eficaz na condução de uma crise. Basta seguir os passos indicados:

Aceite as sensações geradas pela ansiedade. Elas são inesperadas, desconhecidas, mas também são passageiras. Lutar contra os sintomas só faz com que eles se prolonguem e aumentem o desconforto. Deixe que eles fluam até diminuírem e sumirem.

Contemple o ambiente ao seu redor. Observe e descreva os objetos ao seu redor, bem como pessoas e outros elementos do ambiente externo. Deixe que o seu corpo lide com os efeitos da ansiedade, sem julgamentos.

Aja apesar da ansiedade. Tente continuar o que estava fazendo antes dela surgir, mesmo que em menor ritmo. Não tente fugir: isso pode levar à redução da ansiedade, mas pode também levar ao aumento do medo.

Libere o ar dos pulmões. Respire devagar, inspire pelo nariz contando mentalmente até três, leve o ar ao abdômen, segure o ar por mais três segundos e solte o ar lentamente pela boca contando até seis. Siga esse processo até perceber que o ritmo da sua respiração voltou ao estado normal.

Mantenha o roteiro anterior (Aceitar, Contemplar, Agir e Liberar) até se sentir mais confortável.

Examine seus pensamentos. É comum pensamentos catastróficos surgirem. Observe seu diálogo interno e verifique racionalmente se seus pensamentos são possíveis de acontecer ou não. Lembre-se de que a crise de ansiedade é extremamente desagradável, mas ela passa e não coloca sua vida em risco.

Sorria, você conseguiu passar pela crise. Com seus próprios recursos, foi capaz de lidar com a ansiedade. Lembre-se de que você sempre poderá retornar a essa sequência quando necessário.

Espere o futuro com aceitação. Deixe de lado a ideia de viver livre da ansiedade, ela faz parte de todas as pessoas. Aprenda a conviver com ela e a utilizar os recursos necessários quando a crise estiver mais intensa.

Serviço de saúde mental: busque ajuda se necessário

Existem momentos em que é preciso buscar ajuda médica. Diversas condições e situações podem culminar em distúrbios psíquicos ou transtornos mentais.

Assim como a pessoa com o corpo mais saudável do mundo pode precisar de atendimento especializado para tratar de alguma doença ou acidente, quem cuida da mente também pode precisar recorrer ao serviço de saúde mental.

O primeiro passo é reconhecer que precisa de ajuda. Ainda existe certo estigma relacionado aos transtornos mentais, mas eles são mais comuns do que você imagina. Com o suporte adequado – por exemplo, um psiquiatra –, é possível tratar uma condição mental e obter muito mais qualidade de vida.

Caso perceba sinais de depressão, sentimento negativo persistente, pensamento e comportamento excessivos ou qualquer outro desequilíbrio mental e emocional que gere sofrimento agudo, entre em contato com o seu médico ou solicite um profissional conveniado do serviço de saúde mental pelo telefone 4020-4020. A consulta pode ser agendada pelo telefone, pelo site ou pelo aplicativo da Unimed BH.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×
Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

Comentários

error: © Copyright Unimed-BH 2021