Depressão: o que é, sintomas, diagnóstico e tratamento

Prevenção e Controle

20/08/2021

Reconhecer os sinais de depressão é o primeiro passo para buscar ajuda. Leia este artigo e saiba como lidar com o transtorno e cuidar da saúde mental.

3 min de leitura

Compartilhar

Depressão: o que é, sintomas, diagnóstico e tratamento

A depressão acomete jovens, adultos e idosos em todo o mundo, afetando vários aspectos da vida de uma pessoa. Ela pode dificultar a realização de tarefas simples do cotidiano, como escovar os dentes ou sair da cama e até mesmo prejudicar a vida profissional. Por isso, é importante saber identificar os sinais de depressão.

A Organização Mundial da Saúde estima que 5,8% da população do Brasil sofre do transtorno e a tendência é que este número aumente nos próximos anos. A expectativa é que a depressão seja a doença mais comum no mundo em 2030. Veja como reconhecer e tratar os sintomas da depressão.

O que é depressão?

Trata-se de uma alteração de humor caracterizada por sentimentos como tristeza, ansiedade, desânimo e desesperança, que persistem por mais de duas semanas. A depressão é o transtorno psiquiátrico mais comum entre os pacientes atendidos na Atenção Primária à Saúde.

A estimativa é que, cerca de 20% da população adulta será acometida por um transtorno de humor que necessitará de tratamento em algum momento da vida. Se não tratada, a depressão pode reduzir a qualidade de vida e aumentar o risco de suicídio.

Além disso, quando ocorre junto a outras doenças crônicas, ela também pode comprometer o desfecho clínico.

O que causa?

Os fatores de risco para desenvolver depressão abrangem tanto questões genéticas como ambientais e sociais.

O perfil de pacientes mais acometidos pela doença é composto por mulheres, jovens, pessoas com renda mais baixa, doença médica séria ou que acabaram de ter um bebê. Veja outros fatores de risco:

  • Eventos de vida estressantes
  • Histórico familiar
  • Trauma de infância
  • Demência
  • Uso de entorpecentes

Pessoas que já tiveram um episódio depressivo anterior também integram o perfil de risco em desenvolver o transtorno.

Quais são os sintomas de depressão?

É possível identificar os sinais de depressão observando algumas mudanças de comportamento, mas somente um profissional pode diagnosticar corretamente o problema.

Baixa energia, perda de interesse ou prazer na maioria ou em todas as atividades e pensamentos recorrentes sobre morte ou suicídio são alguns dos sintomas. Veja outros indícios:

  • Alteração de humor: a pessoa se apresenta constantemente deprimida
  • Alteração do sono: insônia ou hipersônia (sonolência excessiva)
  • Retardo psicomotor ou agitação
  • Dificuldade em manter a concentração
  • Pensamentos de inutilidade ou culpa

A persistência de pelo menos cinco destes sintomas de depressão por mais de duas semanas acende um alerta: algo precisa ser feito.

Diagnóstico de depressão: qual profissional procurar?

Não há exame laboratorial ou de imagem que determine o diagnóstico de depressão, por isso, uma avaliação médica é essencial.

Ela pode ser feita pelo seu médico habitual, que poderá encaminhá-lo para o especialista adequado, ou por outros profissionais como psicólogo e psiquiatra, o médico especializado em transtornos mentais.

Na consulta, o paciente irá conversar sobre os sintomas e queixas apresentados e poderá passar por um exame físico detalhado.

Outros exames também podem ser necessários, para afastar possíveis situações em comum aos sintomas da depressão, como hipotireoidismo, hipovitaminose e anemia.

Além disso, para auxiliar no diagnóstico da doença, há questionários que podem ser aplicados para uma melhor avaliação do quadro.

Como tratar a depressão?

O tratamento pode se basear em sessões de psicoterapia, medicamentos ou uma combinação dos dois. Seu médico irá fazer uma análise para definir a melhor estratégia.

A melhora deve ser percebida de uma a duas semanas após o início do tratamento. No entanto, em alguns casos, pode ser necessário trocar a medicação para que o tratamento seja efetivo.

É importante frisar que a depressão é uma doença real, diagnosticável e passível de tratamento. Não é “coisa da cabeça” de quem sofre, nem “frescura”. É preciso falar sobre o problema sem medo ou preconceitos e buscar ajuda para obter a melhora.

Cuidar da saúde mental é fundamental para ter qualidade de vida e pode refletir também na saúde física. Para te ajudar a se cuidar melhor, especialmente em um momento tão conturbado como o atual, sugerimos que acesse o conteúdo > Saúde mental na pandemia: como gerenciar mente e emoções.

Leia também → A importância do acompanhamento da saúde mental.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
[rate-form] ×
Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

Comentários

error: © Copyright Unimed-BH 2021