Lombalgia: tudo o que você precisa saber sobre a dor na lombar

Prevenção e Controle

08/03/2022

A lombalgia é um quadro recorrente em brasileiros, mas pode ser evitada com medidas no ambiente doméstico e de trabalho. Saiba mais sobre o assunto e previna-se!

5 min de leitura

Lombalgia: tudo o que você precisa saber sobre a dor na lombar

Mesmo sem saber o que é lombalgia, possivelmente você já foi acometido por esse quadro. Não poderia ser diferente: as dores na região lombar são um diagnóstico recorrente em consultórios médicos e podem ser causadas por diversos motivos: desde doenças pré-existentes, até má postura no trabalho.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de 80% da população já sofreu desse desconforto e no Brasil, ele está intimamente relacionado com afastamentos no trabalho — doença chamada lombalgia ocupacional.

A informação é a maior aliada para se prevenir da lombalgia. Pensando nisso, a Unimed-BH preparou um conteúdo completo com informações validadas sobre o assunto. Continue lendo e saiba mais!

O que é lombalgia?

Existem inúmeros tipos de dor na coluna, portanto, saber o que é lombalgia e como diferenciá-la de outros quadros é fundamental.

A lombalgia é o desconforto na região lombar inferior — a região mais baixa da coluna, localizada próxima à bacia. Esse quadro de dor pode ser causado por diversos fatores, sendo classificado em três diferentes “tipos”: a lombalgia aguda, subaguda ou crônica.

Dor na região lombar: aguda, subaguda e crônica

A dor na região lombar é uma das queixas mais recorrentes em consultórios médicos, ficando atrás apenas da dor de cabeça.

A forma como um quadro de lombalgia pode surgir também varia: pode ser o conhecido e incômodo “jeito na coluna”, ou um desconforto recorrente sem motivo aparente.

Lombalgia aguda

A dor forte e inesperada na região lombar é chamada de lombalgia aguda. Ela pode acontecer após esforço físico intenso, como por exemplo o levantamento de pesos, e costuma diminuir ou cessar após 3 ou 4 semanas, no máximo.

Lombalgia subaguda

Semelhante à lombalgia aguda, a lombalgia subaguda também causa um quadro forte de dor. No entanto, ela costuma durar um pouco mais de tempo — até três meses —, e a melhora acontece gradualmente, de forma natural.

Lombalgia crônica

É considerada lombalgia crônica, a dor na região lombar com duração maior que três meses. Trata-se de um quadro mais comum em pessoas idosas e, para chegar ao diagnóstico, é preciso examinar cuidadosamente e excluir outros diagnósticos.

Causas da lombalgia: quais são os fatores de risco?

Lombalgia

Este problema tão recorrente na população também possui diversos fatores desencadeantes. As causas da lombalgia podem estar relacionadas tanto a doenças pré-existentes, quanto à rotina, atividade ocupacional e fatores comportamentais.

A Sociedade Brasileira de Reumatologia associa a lombalgia ao mau uso das estruturas da coluna e lista, entre as causas para o surgimento de quadros, os seguintes fatores:

  • Esforços repetitivos e excesso de peso
  • Traumas
  • Condicionamento físico inadequado
  • Erros posturais e posição não ergonômica no trabalho

Além desses fatores, inflamações, infecções, tumores, hérnia de disco e osteoartrose também podem desencadear dor na região lombar. Na gestação, as dores na região lombar também costumam ser recorrentes, devido a alterações na postura e aumento do peso.

Qual a relação com a má postura ou ergonomia no trabalho?

Não é segredo para ninguém que as dores na região lombar estão comumente associadas ao ambiente profissional. Tamanha a relação, existe o termo lombalgia ocupacional para classificar os desconfortos que estão associados ao cotidiano laboral.

Os quadros de lombalgia associada ao trabalho podem ser vistos em ambientes corporativos e de produção, e podem ser causados tanto pela postura inadequada em frente ao computador, quanto por atividades que exigem movimentos repetitivos, levantamento de peso, etc.

A lombalgia pode estar atrelada ao trabalho nos seguintes cenários:

  • Quando a atividade ocupacional é a causa direta do desconforto;
  • Quando a atividade ocupacional contribui, junto a outros fatores, para o surgimento da dor e;
  • Quando a atividade ocupacional ajuda a piorar quadros de lombalgia já existentes.

Em todos os casos, a investigação da dor na região lombar deve ser feita por um médico, para que o diagnóstico correto seja feito.

4 formas de evitar a dor lombar

Sabendo que existem inúmeras causas de lombalgia, é possível adotar algumas medidas para evitar o surgimento da incômoda dor na região lombar.

Essas mudanças devem ser feitas no ambiente doméstico e de trabalho, a fim de garantir conforto e prevenção em todos os momentos do dia.

1. Pratique exercícios físicos

A prática de exercícios físicos é, sem sombra de dúvidas, um dos maiores presentes que você pode oferecer para a sua saúde.

Além de ajudar a prevenir a dor lombar, quando associada a uma alimentação balanceada, ela auxilia no controle do peso — outro fator que pode ocasionar lombalgia.

Na hora de se exercitar, não se esqueça de escolher calçados adequados e de evitar impactos e movimentos bruscos na região da coluna. Para isso, a orientação profissional faz toda a diferença.

Fique atento: em caso de dores na região lombar, o exercício deverá ser suspenso e retomado apenas mediante orientação médica.

2. Cuide da sua postura

Lombalgia

Quantas vezes você já se deparou com uma postura inadequada, em pé ou sentado na cadeira?

A correção postural é fundamental para evitar quadros de lombalgia, sobretudo quando passamos muito tempo parados na frente do computador, por exemplo. Por isso, esteja sempre atento à sua postura e corrija-a sempre que necessário.

Opte também por colchões firmes — nem tão rígidos, nem tão macios — para o descanso. O colchão correto pode promover alívio na coluna, mas caso o contrário aconteça, os prejuízos para a região lombar podem ser grandes.

Além disso, sempre que possível, evite:

  • Carregar muito peso;
  • Ficar muito tempo agachado ou curvado;
  • Dobrar a coluna ao se abaixar;
  • Fazer esforço físico intenso.

3. Ajuste o ambiente de trabalho

Além de corrigir a postura, também é preciso observar e promover ajustes no ambiente de trabalho.

Escolha uma cadeira apropriada e confortável para passar a jornada de trabalho, mantenha braços e pernas em um ângulo de 90º e o monitor do computador a 70 cm de distância dos olhos.

Além de evitar a fadiga visual, essa distância permite com que você fique confortável e não precise se curvar para enxergar a tela.

Se necessário, conte com apoios de pé e de mesa para promover os ajustes e não se esqueça de fazer pausas durante a jornada de trabalho: levante-se, alongue braços e pernas neste momento.

4. Atenção aos riscos ergonômicos

Carregamento de peso e movimentos repetitivos são atividades ocupacionais que envolvem risco ergonômico.

Por esse motivo, é importante utilizar os Equipamentos de Proteção Individual e se atentar aos limites de carga e intervalos determinados para prevenção de doenças ocupacionais.

Saiba mais sobre o assunto em > Risco ergonômico: o que é e como cuidar da postura no trabalho?

Dores na região lombar: como aliviar?

O tratamento para lombalgia dependerá do tipo — aguda, subaguda ou crônica — e dos fatores relacionados ao seu surgimento.

Podem ser receitados analgésicos para aliviar a dor, repouso, a suspensão de atividades físicas e adoção de práticas para corrigir a postura. Entretanto, a orientação médica é fundamental nesse processo.

A Unimed-BH ajuda você a encontrar caminhos para cuidar das dores na região lombar e promover mais qualidade de vida no seu dia a dia. Confira alguns conteúdos relacionados ao assunto:

Equipe de Atenção à Saúde Unimed-BH
Conteúdo validado por Equipe de Atenção à Saúde Unimed-BH

Equipe responsável por prover conteúdos em soluções assistenciais para clientes, profissionais e prestadores da Unimed-BH, assim como para a sociedade como um todo.

Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×

Comentários