Varizes e insuficiência venosa: guia de cuidados, prevenção e tratamento

Prevenção e Controle

22/07/2021

Veias calibrosas na perna podem ser sinal de insuficiência venosa. Aprenda mais sobre as varizes e seus cuidados.

6 min de leitura

Compartilhar

Varizes e insuficiência venosa: guia de cuidados, prevenção e tratamento

As varizes são um problema que vai muito além da estética. Elas podem ser os primeiros sinais de disfunções venosas e, se não tratadas corretamente, podem ocasionar diversas preocupações.

Se você possui histórico familiar, ou se depara constantemente com o desconforto nas pernas, este conteúdo é para você. Explicamos as principais informações sobre varizes, seus sintomas, tratamentos e complicações. Continue lendo para se informar e descobrir mais sobre a condição.

O que são varizes?

As varizes são veias superficiais dilatadas com aparência anormal, tortuosa e coloração púrpuro-azulada. Elas costumam surgir nos membros inferiores e são secundárias a alterações da função da circulação venosa.

As varizes podem ser de pequeno, médio ou grande calibre, e possuem incidência variável relatada entre 20% a 64%.

As telangectasias — conhecidas pelo nome popular como vasinhos —, por sua vez, são microvasos dilatados e superficiais, e são extremamente comuns, afetando cerca de 80% da população.

Tanto as varizes, quanto as telagenctasias, devem ser vistas como sinal de alerta, porque podem ser sinais iniciais de uma possível disfunção venosa.

O que leva ao surgimento de varizes?

Para que o retorno venoso dos membros para o coração aconteça corretamente, é necessária a presença de bombas musculares normais na panturrilha e nos pés, além de veias desobstruídas e válvulas competentes.

O mau funcionamento de algum desses mecanismos pode resultar em insuficiência venosa. As veias dos membros inferiores possuem válvulas que abrem e fecham, impulsionando o sangue de volta ao coração após a irrigação. Mas, também evitando que o sangue retorne para os pés — consequência da ação da gravidade.

Quando essas estruturas não funcionam de forma eficiente, o sangue pode ficar estagnado nas veias.

As consequências disso são o aumento da pressão local, a dilatação e a deformação dos vasos sanguíneos, inchaço nas pernas e alterações na coloração, além da sensibilidade da pele. Em casos mais avançados, esse processo pode levar à formação de úlceras no local.

Quais são os sintomas de varizes?

O surgimento de varizes pode gerar desconforto ou não. Há pacientes com varizes calibrosas que não sentem nada; por outro lado, há pessoas que desenvolvem diversos sintomas.

Entre as principais queixas de pessoas com varizes, estão:

  • Queimação;
  • Fadiga e sensação de peso;
  • Dor, desconforto e inchaço nas pernas — sobretudo nos tornozelos.

O inchaço é consequência da alta pressão nos vasos sanguíneos, que faz com que a água extravase e acumule na região dos tornozelos.

Esses sintomas costumam piorar no fim do dia, após longos períodos em pé ou em dias de calor. Também é comum que mulheres durante o período menstrual ou gravidez, percebam piora. Elevar as pernas pode aliviar as queixas.

Existem pessoas mais propensas a desenvolver varizes e doenças venosas crônicas?

Alguns fatores de risco podem contribuir para o desenvolvimento de varizes e doenças venosas nos membros inferiores.

  • Idade mais avançada;
  • História familiar;
  • Sexo feminino;
  • Obesidade;
  • Histórico de trombose venosa profunda;
  • Tabagismo;
  • Gestação.

Pessoas que trabalham em pé, especialmente em um lugar só, por período prolongado, também precisam ficar atentas. Elas são candidatas a se depararem com problemas de varizes.

Como é feito o diagnóstico?

Para documentar, localizar e classificar quais são os setores do sistema superficial que estão comprometidos e apresentando refluxo, é necessário realizar um exame clínico com um especialista.

Ele também poderá solicitar uma ultrassonografia duplex e, às vezes, testes mais detalhados — tudo dependerá da avaliação inicial.

As varizes podem causar complicações?

A presença constante do edema causado pelas varizes pode comprometer a nutrição da pele. Isso acontece porque o excesso de água acumulada dificulta a oxigenação dos tecidos, provocando uma espécie de isquemia local.

A condição pode ocasionar alterações dermatológicas e, até mesmo, formação de úlceras. Episódios de maior gravidade podem afetar cerca de 5% da população e causar diversas mudanças progressivas na pele:

  • Eczemas: caracterizados por vermelhidão, ressecamento, descamação e coceira na pele.
  • Atrofia branca: áreas localizadas e arredondadas de pele branca e brilhante.
  • Hiperpigmentação: complicação comum em estágios avançados da doença, caracterizada pela coloração marrom avermelhada principalmente na região do tornozelo e da parte inferior da perna. É resultado do extravasamento de sangue e do depósito de hemossiderina (pigmento anormal resultante da degeneração de hemácias) nos tecidos.
  • Lipodermatoesclerose: rigidez e endurecimento no local dos edemas. É resultado da condição inflamatória crônica que induz a uma proliferação de pequenos vasos e fibrose da pele e dos tecidos subcutâneos.
  • Tromboflebite superficial: se manifesta como dor localizada, sensibilidade e vermelhidão. Em caso de varizes calibrosas pode-se sentir que o trajeto da veia ficou endurecido.
  • Úlceras venosas: é o estágio mais grave da doença e podem estar ativas ou cicatrizadas. O inchaço e a dificuldade de oxigenação dos tecidos locais dificultam o processo de regeneração celular, por isso, as lesões são de difícil cicatrização. As úlceras podem levar a infecções secundárias.

É possível prevenir varizes?

Infelizmente, não existe uma maneira clara de prevenir a formação de varizes. Mas é possível seguir algumas recomendações, que podem ajudar a manter a função venosa saudável — sobretudo quando se faz parte de algum grupo de risco.

Manter-se saudável e ativo, controlar o peso, evitar ficar em pé no mesmo lugar por tempo prolongado e usar meias compressivas são algumas das orientações.

Como é o tratamento de varizes?

Existem duas formas de tratamento de varizes: as meias de compressão e procedimentos cirúrgicos. O melhor caminho a ser seguido deverá ser indicado por um especialista.

Meias de compressão

As meias de compressão graduada são a base do tratamento para a insuficiência venosa e, às vezes, são necessárias por toda a vida. Possuem vários tipos, resistências e comprimentos.

Aliviam os sintomas e ajudam a evitar a progressão do quadro, mas não curam as veias dilatadas. Pessoas com complicações como úlceras venosas, podem e devem usar meias de compressão.

A recorrência de úlceras venosas de pacientes que aderem ao uso das meias é metade da recorrência daqueles que não aderem ao tratamento.

As meias elásticas podem ser antiestéticas, desconfortáveis especialmente no calor, mas representam um instrumento imprescindível no tratamento dos distúrbios circulatórios e por esse motivo, devem ser usadas de forma sistemática.

A falta de adesão terapêutica às meias prescritas é a principal causa de falha da terapia de compressão.

Procedimentos cirúrgicos

Os procedimentos cirúrgicos são uma forma eficaz de tratar as veias varicosas e a insuficiência vascular crônica.

O fato de serem assintomáticas não significa que não devem ser operadas, pois com o tempo, as varizes de grosso calibre podem se tornar sintomáticas e levar a complicações.

Esses procedimentos consistem em remover, por meio de fleboextração cirúrgica ou safenectomia, ou obliterar — por escleroterapia, cola, ablação — as veias doentes. São usadas uma variedade de técnicas, considerando a particularidade de cada caso para a tomada de decisão.

Não são removidas todas as veias superficiais, apenas aquelas dilatadas e que permitem o refluxo do sangue. Nesses casos, o sangue é redirecionado para veias saudáveis ​​com válvulas funcionais.

Fleboextração cirúrgica

Na fleboextração cirúrgica, o cirurgião faz pequenos cortes na perna e as veias afetadas são retiradas. É um procedimento rápido, de hospitalização curta e a recuperação, feita em domicílio, pode durar algumas semanas.

Escleroterapia

Consiste em injetar certos tipos de líquidos que obliteram os vasinhos, fazendo-os sumir.

Ablação

É uma técnica mais recente, que utiliza laser ou radiofrequência. Com a ajuda de um cateter bem fino, cria-se calor local no interior da veia varicosa que se quer tratar, fazendo com que ela se feche.

Para aqueles pacientes que possuem úlceras venosas, em alguns casos, curativos especiais são necessários para sua cicatrização e seu uso deve ser orientado por especialistas.

Atenção especial deve ser dada aos cuidados de higiene do local e ao menor sinal de infecção, o seu médico deve ser informado para tratar da forma correta. Eventualmente, o uso de antibióticos é preciso.

Controle

Tão importante quanto adotar os tratamentos prescritos pelo médico, é fundamental adotar cuidados para o controle da insuficiência vascular crônica e das varizes. Os principais hábitos que devem ser incorporados no dia a dia, são:

  • Mudanças na alimentação
  • Controle do peso corporal
  • Interrupção do tabagismo
  • Inclusão de caminhadas diárias na rotina
  • Uso de meias de compressão durante o maior tempo possível

Além das mudanças na rotina, é importante evitar ficar de pé, sem se movimentar por muito tempo. Caso seja necessário, busque fazer exercícios para movimentar as pernas e ajudar na circulação do sangue.

Quando possível, também é recomendado elevar as pernas acima do nível do coração para facilitar o retorno do sangue. Lembre-se: o sedentarismo é um mau hábito para pessoas com varizes, por isso, mantenha-se ativo e busque exercitar as pernas.

Quando devo procurar um especialista?

É preciso estar atento aos sinais. Você deve procurar um angiologista quando se deparar com alguma das seguintes situações:

  • Sentir as pernas constantemente pesadas, cansadas ou com sensação de queimação;
  • Inchaço recorrente ou repentino;
  • Alteração na coloração e sensibilidade das pernas;
  • Dor intensa e contínua;
  • Aparecimento de feridas;
  • Sinais de infecção em úlceras venosas.

Saiba mais sobre saúde e bem-estar

A mudança de hábitos é fundamental para controlar problemas de varizes e insuficiência venosa. Mais do que isso, é crucial para uma vida mais saudável e ativa.

A Unimed-BH sabe disso, e possui uma série de conteúdos exclusivos validados por especialistas sobre saúde, bem-estar e prevenção de doenças. Acesse o portal Viver Bem e informe-se sobre Qualidade de Vida e muito mais!

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×
Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

Comentários

error: © Copyright Unimed-BH 2021