Mudanças no corpo da gestante: principais alterações durante a gravidez

Maternidade

18/08/2021

O que esperar quando se está esperando? Para ajudar a entender as mudanças no seu corpo durante a gestação, este conteúdo descreve as principais alterações em cada trimestre da gravidez.

5 min de leitura

Compartilhar

Mudanças no corpo da gestante: principais alterações durante a gravidez

Grandes transformações e mudanças no corpo na gravidez fazem parte do processo da gestação pelo qual as futuras mamães passam. Essas alterações ocorrem para permitir o desenvolvimento e crescimento do feto, o trabalho de parto e a alimentação do bebê após o nascimento por meio da amamentação.

Entender as mudanças no corpo da gestante, é essencial para que a mulher possa sinalizar ao médico e à equipe de saúde, as situações não esperadas e que podem indicar algum problema. Seja a protagonista do seu cuidado!

Mudanças no corpo a gestante: os trimestres

As mudanças no corpo da gestante ocorrem de forma progressiva. Para facilitar o entendimento, iremos descrever as principais alterações de cada trimestre, que possuem maior impacto ou são mais notadas.

O útero é o órgão que abrigará o bebê durante toda a gravidez e, para isso, ele precisará aumentar o seu tamanho centenas de vezes. O desenvolvimento e crescimento deste órgão, começam desde a fecundação e perduram por toda a gestação.

Ao final das primeiras oito semanas, o útero terá o tamanho de uma laranja. Já após as 12 semanas, ele poderá ser percebido acima do osso púbico da bacia. Essas são algumas das mudanças no corpo no início da gravidez. Veja outras alterações a seguir.

Primeiro trimestre: principais alterações no início da gestação

O crescimento do útero e a pressão que ele exerce sobre a bexiga, contribuem para aumentar a frequência com que as grávidas urinam. Os seios também passam por modificações importantes desde o início da gestação.

Além de aumentarem de tamanho e ficarem mais sensíveis, seus vasos sanguíneos se tornam mais visíveis devido ao aumento de fluxo de sangue para esta região.

Coração e volume do sangue

Desde o início da gravidez, o coração aumenta a quantidade de sangue que bombeia por minuto. Isso é possível graças ao aumento de batidas que ele realiza por minuto, e ao volume de sangue que bombeia em cada batida. Esse aumento progride de 30% a 50%, atingido entre 28 e 32 semanas de gestação.

Além disso, o volume de sangue que circula no corpo materno aumenta em até 10% no primeiro trimestre da gravidez. Duas a três semanas após o parto, a volumetria retorna aos valores normais do período anterior à gestação.

Essas alterações ocorrem porque o organismo materno precisa se adaptar para suprir as necessidades dos tecidos em formação e crescimento, especialmente do útero e do bebê.

Alterações nos sentidos das futuras mamães

Entre as mudanças no corpo das gestantes, as de paladar e olfato são frequentes, principalmente no primeiro trimestre. Algumas grávidas passam a ter aversão a alimentos que gostavam ou a adorar alimentos que, antes, não toleravam.

Provavelmente essas alterações são provocadas pela variação hormonal característica do período gestacional. Sentir muito sono também é comum neste período.

Isso se manifesta com intensidade no início da gestação devido ao aumento da progesterona, que também altera a flora vaginal devido à alteração do pH.

Essa mudança é fundamental no controle de infecções bacterianas, porém, predispõe a gestação a mais infecções fúngicas como a candidíase vaginal.

Por que as grávidas sentem enjoos?

Talvez o sintoma mais associado à gestação, na nossa cultura, seja o famoso enjoo na gravidez. Sua origem tem muitas causas, entre elas, as alterações hormonais comuns neste período.

Normalmente, este sintoma surge por volta da 5ª semana e melhora em torno da 16ª semana. Os enjoos na gestação acometem até 80% das grávidas, mas a intensidade varia.

Em até 2% das gestantes, pode ocorrer uma forma grave desse quadro chamada hiperêmese gravídica. Nestes casos, a mulher pode apresentar:

  • Vômitos incoercíveis
  • Sinais de desidratação
  • Perda de peso

Este quadro demanda tratamento hospitalar para que a gestante receba hidratação e medicação venosa.

Estado emocional no primeiro trimestre

Além das alterações físicas descritas, a mudança de perspectiva de vida que surge com a gravidez pode gerar sentimentos diversos, como:

  • medo;
  • insegurança;
  • angústia;
  • alegria;
  • ansiedade.

Isso costuma ocorrer com mais intensidade no primeiro trimestre da gravidez. Por isso, é muito importante que a gestante tenha suporte emocional dos familiares, amigos e da equipe de saúde que a acompanha no pré-natal.

Mudanças no corpo da gestante no segundo trimestre

O crescimento do útero continua neste período e ele já se torna perceptível no abdômen. Normalmente, a partir da 20ª semana de gestação o útero é palpável na altura do umbigo e os tão esperados movimentos do bebê também costumam ser percebidos pela gestante neste período, ou até um pouco antes.

Em busca de uma posição confortável para dormir

Com a chegada do segundo trimestre de gravidez, o útero atinge um tamanho que pode prejudicar o retorno do sangue para o coração. Especialmente quando a grávida está deitada de barriga para cima, levando à hipotensão.

Essa queda da pressão nos vasos sanguíneos se manifesta em sintomas como palidez, sudorese, náuseas e vômitos.

A partir desta fase, portanto, caso observe esses sinais, é indicado dormir de lado, especialmente com o seu lado esquerdo do corpo voltado para baixo. Isso ajudará a futura mamãe a dormir bem na gravidez.

Outras mudanças no corpo da gestante

Nos seios, as aréolas escurecem e glândulas chamadas Tubérculo de Montgomery tornam-se mais salientes e aumentam em número. Após a 20ª semana, algumas gestantes também podem perceber a saída do colostro após a expressão do mamilo.

E não são só os mamilos que se tornam mais escuros neste período. Outras áreas da pele também aumentam sua pigmentação, principalmente áreas já pigmentadas como pintas e sardas.

Os melasmas – manchas escuras que surgem principalmente no rosto – e a linha nigra – linha vertical escura que surge no abdômen – aparecem, geralmente, no final do segundo trimestre, mas podem surgir mais precoce ou tardiamente.

Sistema cardiovascular e gastrointestinal no segundo trimestre

O relaxamento da musculatura do trato gastrointestinal, provocado pelas altas taxas de progesterona e o aumento da pressão abdominal, devido ao crescimento do útero, pode levar ao refluxo gastroesofágico e à azia em 80% das gestantes.

Além disso, aproximadamente 30% das mulheres irão apresentar constipação intestinal entre o conjunto de mudanças no corpo da gestante.

Enquanto isso, o sistema cardiovascular continua aumentando sua capacidade: o coração trabalha duas vezes mais do que o da mulher que não está grávida.

As gengivas também tornam-se mais sensíveis, o que facilita o desenvolvimento de processos inflamatórios e sangramentos. A adequada higiene da boca é fundamental durante a gestação.

O que esperar no terceiro trimestre de gravidez?

Como você já viu, o sistema cardiovascular aumenta progressivamente sua capacidade até atingir o ápice por volta da 32ª semana de gestação.

A sensação de falta de ar pode ocorrer desde o início da gravidez, mas é mais frequente e significativa no último trimestre. Embora seja uma queixa comum, se estiver associada à limitação para realização das atividades cotidianas ou vier acompanhada por dor no tórax, é necessário passar por uma avaliação médica.

Postura das grávidas nos últimos três meses

Nesta fase, a postura é afetada por alterações no eixo da coluna e no centro de gravidade do corpo da gestante, geradas pelo aumento do volume uterino e das mamas.

Acentua-se, portanto, a lordose e a hipercifose da coluna vertebral. Com isso, alguns grupos musculares podem ser sobrecarregados, gerando dor.

As alterações da posição da coluna podem, ainda, levar à compressão de raízes nervosas, gerando cansaço, dor lombar e até alteração da sensibilidade como o formigamento em braços e pernas.

O relaxamento das articulações da bacia, que se prepara para o parto, pode gerar desconforto ao caminhar.

Sintomas mais frequentes na reta final

Alterações nos vasos cerebrais vasculares estão relacionadas à alteração de memória e concentração, queixas comuns entre as gestantes, principalmente no terceiro trimestre.

Inchaço nas mãos e nos pés se tornam mais importantes, causando maior desconforto. Uma grande parte do ganho de peso na gravidez, inclusive, deve-se à retenção hídrica.

Nesse período, outra mudança no corpo da gestante é o aumento da pressão na bexiga, desencadeando a vontade de urinar com maior frequência.

Contrações uterinas de treinamento, chamadas contrações de Braxton Hicks, podem ocorrer durante toda a gestação, mas são mais percebidas no terceiro trimestre. No entanto, elas são indolores e duram de 1 a 2 minutos.

Conhecer o seu corpo e saber como ele irá se comportar durante a gestação é fundamental para monitorar a gravidez e se manter saudável durante todo o processo. Além disso, o portal Viver Bem da Unimed-BH também preparou outros conteúdos que poderão te ajudar:

Perguntas sobre gravidez? A Unimed-BH responde!

Vacinação para gestantes: guia sobre a imunização de grávidas

Preparação para o parto: esteja mais segura e confiante neste momento

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
[rate-form] ×
Obrigado! Sua opinião nos ajuda a fazer conteúdos cada vez melhores.

Comentários

error: © Copyright Unimed-BH 2021