Obesidade infantil: riscos, como evitar e a importância da boa alimentação

Qualidade de Vida

11/10/2021

Com o Dia Nacional de Prevenção à Obesidade (11/10) e o Dia das Crianças (12/10), vamos tratar de um assunto sério: a obesidade infantil. Veja quais são os principais riscos para a saúde do seu filho e como evitar essa condição.

4 min de leitura

Compartilhar

Obesidade infantil: riscos, como evitar e a importância da boa alimentação

O alto índice de prevalência de crianças obesas na população brasileira é considerado um tema preocupante, tendo possíveis desdobramentos negativos no desenvolvimento da criança e adolescente, e sendo fator predisponente de possíveis adoecimentos e problemas de saúde.

Por isso, é preciso tratar a obesidade na infância como uma questão de saúde e não como uma “fase”. Algumas pessoas recorrem ao mito de que criança “gordinha” é sinal de saúde, mas não é bem assim.

A obesidade nesta etapa pode trazer vários prejuízos aos pequenos, inclusive, é considerada um fator de risco para possíveis problemas emocionais.

Obesidade na infância: dados e riscos

A obesidade infantil é caracterizada quando crianças de até 12 anos apresentam valor de Índice de Massa Muscular (IMC) de pelo menos 15% a mais no peso de referência para a faixa etária. No Brasil, os dados são preocupantes. Os pais podem solicitar essa avaliação ao médico da criança, pediatra ou endocrinologista.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, em 2030, a tendência é que o país alcance o 5° lugar no ranking mundial de crianças e adolescentes com obesidade.

Em 2019, o Ministério da Saúde reuniu todos os dados sobre esse tema em um documento intitulado Atlas da Obesidade Infantil. Ele revela que, a cada cinco crianças brasileiras com idade entre 5 e 9 anos, três estão acima do peso.

Na população de até 2 anos, foi constatado que 18,9% têm excesso de peso, e entre as crianças de 2 a 4 anos, 14,3% são obesas.

A obesidade na infância pode predispor problemas como:

  1. Hipertensão
  2. Diabetes
  3. Gordura no fígado
  4. Doenças cardíacas
  5. Dores nas articulações
  6. Doenças ortopédicas

Além disso, crianças obesas podem ser vítimas de bullying e, consequentemente, podem encontrar dificuldades em realizar atividades e brincadeiras comuns na infância, além de ter problemas emocionais, de relacionamento e disfunções alimentares (anorexia e bulimia). Por isso, é muito importante o acompanhamento da criança desde cedo por profissionais médicos.

11/10 – Dia Nacional de Prevenção à Obesidade

Instituída pela Lei 11.721 de 2008, a data é uma forma de mobilizar e conscientizar a população sobre a importância da prevenção da obesidade.

Dentro dessa temática, a prevenção e tratamento da obesidade na infância é fundamental para evitarmos que as nossas crianças se tornem adultos obesos, podendo sofrer de doenças associadas à obesidade. Para isso, entram em pauta questões como os hábitos alimentares e comportamentais de crianças e adolescentes.

Causas da obesidade infantil: principais dúvidas

A obesidade infantil apresenta causas multifatoriais como fatores genéticos, ambientais e comportamentais que podem influenciar no contexto familiar, social e cultural em que a criança está inserida.

Outros fatores, tais como o sedentarismo, excesso de consumo de açúcar, alimentos gordurosos e industrializados, período curto de aleitamento materno e até mesmo a introdução alimentar de forma inadequada nos primeiros meses de vida da criança, também favorecem a ocorrência de obesidade em crianças e adolescentes.

Filhos de pais obesos tendem a desenvolver sobrepeso?

Os fatores hormonais e genéticos também estão relacionados à obesidade infantil. Por isso, crianças que têm pais obesos também apresentam tendência ao sobrepeso. Mais um motivo para prevenir o problema ainda na infância. Além disso, os hábitos alimentares dos pais são incorporados pelos filhos, podendo influenciar negativamente a história ponderal.

Crianças “gordinhas” podem ter obesidade na vida adulta?

Caso o problema não seja controlado ainda na infância, o sobrepeso pode acometer a pessoa ao longo de toda a vida. Especialmente se os maus hábitos alimentares e comportamentais permanecerem após os primeiros anos de vida.

Como evitar a obesidade infantil: 3 dicas para combater desde cedo

Ao tentar prevenir o problema na infância, é preciso ter cautela ao falar sobre o assunto com as crianças, tomando o cuidado de não deixá-las preocupadas e ansiosas, desde muito cedo, com a questão estética.

A seguir, você encontra algumas dicas para ajudar o seu filho a adotar e gostar de hábitos saudáveis, evitando o sedentarismo e a alimentação inadequada.

1. Atividades em casa para crianças

É verdade que os hábitos e as relações sociais mudaram muito desde março do ano passado, quando teve início a pandemia de Covid-19. Com a determinação do isolamento social, muitas famílias se viram restritas às atividades dentro de casa, incluindo as crianças.

Conciliar as tarefas domésticas, o trabalho e, ainda, encontrar formas de entreter e movimentar as crianças certamente não é uma missão fácil. Mas é possível desenvolver algumas atividades e brincadeiras que podem tirá-las da frente da TV e do sofá.

Uma dica é incluir a participação delas em suas tarefas domésticas e, assim, embutir algumas responsabilidades. Na pandemia, brincar em casa é a garantia de diversão segura.

2. Alimentação equilibrada para toda a família

Fazer uma reeducação alimentar, permeando o cardápio com alimentos integrais e naturais, ajudará as crianças a seguir o exemplo. Reduza o consumo dos industrializados e deixe frutas, cereais e outras opções saudáveis ao alcance dos pequenos.

É importante também controlar o consumo de doces em casa. O excesso de açúcar pode trazer vários problemas para a saúde e, para uma criança, esses problemas podem acompanhá-la por toda a vida.

Saiba tudo sobre o assunto neste artigo: A importância de reduzir o consumo de doces. Se precisar de ajuda nessa missão, não hesite em acionar um especialista. Um nutrólogo ou nutricionista poderá auxiliá-lo a elaborar um cardápio saudável e equilibrado para os pequenos.

Nesse artigo você também encontra dicas de alimentação saudável na introdução alimentar do seu filho, para iniciar este hábito desde cedo > Alimentação saudável infantil: dicas de introdução alimentar.

Para ajudá-lo no propósito de criar os filhos com saúde e evitar a obesidade infantil, também separamos algumas dicas para preparar lanches saudáveis e práticos para as crianças > Merenda escolar: prepare uma lancheira saudável.

3. Combate ao sedentarismo

Na infância, o deslumbramento diante de tantos aparelhos eletroeletrônicos é inevitável. A TV, o tablet, o celular e o computador certamente representam uma fonte inesgotável de entretenimento para os pequenos. Mas é preciso ter cuidado para não exagerar na dose e evitar que o seu filho passe tempo demais no sofá sem gastar energia.

Por isso, limite o acesso das crianças aos dispositivos eletrônicos e as estimule a fazer atividades físicas, mesmo que elas venham em forma de brincadeiras. Andar de bicicleta, correr ao ar livre ou andar de skate são algumas das opções.

Clique aqui e confira as dicas e pistas de skate em BH para levar o seu filho. Também é possível estabelecer uma rotina de atividades físicas específicas para crianças.

Lembre-se que a referência para os filhos são os pais. Adote também opções saudáveis de alimentação e atividades físicas no seu dia a dia.

E já que a mudancinha de hábitos vem de berço, preparamos um livro digital especial para o Dia das Crianças, com diversos tipos de atividades educativas que vão instigar em seu filho a curiosidade e o aprendizado sobre alimentação saudável.

Ele está disponível para ser baixado e impresso pelos pais, e conta com brincadeiras como caça-palavra, figuras para colorir, labirinto e muito mais. Confira > Hora de brincar e aprender sobre alimentação saudável.

Unimed-BH
Unimed-BH
Somos a melhor entre as maiores operadoras de saúde do Brasil, estamos presentes na vida de mais de 1,2 milhão de pessoas e temos um compromisso com nossos clientes e a sociedade: disponibilizar informações de saúde confiáveis, completas e de alta qualidade, para que você se cuide melhor todos os dias.
Esse conteúdo foi útil para você?
Sim Não
×